Redes sociais mais perigosas que sites de pornografia (informatico.pt)

Redes sociais , sites de pesquisa e de vendas são mais perigosos que sites de pornografia, bens luxuosos, apostas e produtos farmacêuticos ilegais , segundo um estudo recente da Cisco.

As redes sociais são, actualmente, uma das maiores atracções da Internet. Nelas estão miúdos e graúdos que as utilizam para os mais diversos fins, desde o contacto com pessoas novas, promoção profissional, engate, venda de produtos ou até mesmo estar mais perto daqueles que, devido à vicissitudes da vida, se encontram mais longe.

No entanto, as redes sociais podem esconder vários perigos e, segundo um recente estudo da Cisco, estas páginas, conjuntamente com páginas de pesquisa e de vendas, são onde estão mais concentradas as ameaças da Internet.

O estudo foi levado a cabo pela gigante Cisco, e foi apresentado nesta passada quarta-feira, dia 30 de Janeiro. Trata-se de um estudo global de segurança que revela os desafios que os utilizadores e empresas enfrentam na Internet.

Segundo o relatório da pesquisa, e ao contrário do que se poderia pensar, os locais com maior concentração de ameaças e perigos não são os sites de pornografia, bens luxuosos, apostas ou produtos farmacêuticos ilegais, mas sim páginas mais pulares como redes sociais, vendas e sites de pesquisa.

O estudo ainda demonstra que é 21 vezes menos provável que seja infectado com conteúdo malicioso em sites de software pirata, que em sites de compras online. Por sua vez a probabilidade de ser infectado em sites de pesquisa sobe para 27 vezes mais. Ainda mais assustador esta realidade se torna quando falamos na publicidade online, onde há 182 vezes mais probabilidade de existir vírus do que as páginas de pornografia.

Os resultados indicam ainda que em 2012 houve uma mudança significativa no cenário global, sendo que a China caiu da 2º posição como sendo o país mais vulnerável (em 2011), para 6º lugar. Os EUA mantiveram a 1º posição com 33% das ocorrências de malware no mundo inteiro.

Eis o Ranking:
1. EUA: 33.14%
2. Russia: 9.79%
3. Dinamarca: 9.55%
4. Suécia: 9.27%
5. Alemanha: 6.11%
6. China: 5.65%
7. Reino Unido: 4.07%
8. Turquia: 2.63%
9. Holanda: 2.27%
10. Irlanda: 1.95%

Este é já o terceiro estudo da Cisco Connected World Technology Report, a pedido da Cisco, e que consistiu em duas pesquisas diferentes. A primeira pesquisa centrou-se nos jovens estudantes universitários e trabalhadores entre os 18 e os 30 anos de idade.

A segunda pesquisa tece como população alvo os profissionais de IT de vários sectores.

Casa pesquisa conta com uma amostra de 100 entrevistados, de cada um dos 18 países, o que resulta num vasto grupo de 3.6 mil pessoas.

Os 18 países são: Estados Unidos, Canadá, México, Brasil, Argentina, Reino Unido, França, Alemanha, Holanda, Rússia, Polônia, Turquia, África do Sul, Índia, China, Japão, Coreia do Sul e Austrália

>Ler mais

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*