Virgem de 29 anos se livra do vício em pornografia (Terra Brasil)

Virgem de 29 anos se livra do vício em pornografia

Luke Gibbons teve contato com pornografia aos 11 anos e, quando os pais instalaram internet em casa, a curiosidade se transformou em vício

O Australiano Luke Gibbons, de 29 anos, passou seis semanas em uma clínica de reabilitação para se livrar do vício em pornografia, que começou na adolescência. O hábito atrapalhava sua produtividade, saúde, relacionamentos e amizades. Como resultado, nunca namorou e é virgem. Os dados são do jornal Daily Mail.

Luke viu pornografia pela primeira vez quando tinha 11 anos e um amigo lhe mostrou uma das revistas de seu pai. Nessa idade, também se lembra de ver cenas de sexo na televisão tarde da noite e nos filmes. Mas foi quando seus pais instalaram internet em casa que sua curiosidade se transformou em um vício.

“Era algo que não queria fazer, mas fazia de qualquer maneira”, disse Luke. “Estava começando a tomar grandes pedaços de meu tempo. Mentia para as pessoas sobre o que fazia no meu tempo livre. Ficava assistindo toda a noite e ia trabalhar com uma hora de sono, o que estava afetando a minha produtividade, minha saúde, meus relacionamentos e amizades.”

Também foi a pornografia que tirou o interesse de encontrar uma namorada. “Ainda tinha interesse em relacionamentos, mas não tinha aquele incentivo enorme para fazer qualquer coisa sobre isso, em comparação com agora que sinto que realmente gostaria de ter um relacionamento com alguém. Estava menos interessado em colocar o esforço necessário para amar uma pessoa.”

Luke disse que sentia um “profundo nível de vergonha” e, com 25 anos, foi a um centro de reabilitação incentivado por amigos. Passou seis semanas no local, que atendia pessoas com vícios variados. Não foi fácil mudar, mas conseguiu. “Posso ver o quão melhor a minha vida é agora, estou em forma, saudável, mais ligado aos meus amigos, me sinto melhor comigo mesmo.”

Hoje, trabalha com marketing e está particularmente interessado em encontrar uma namorada. “Estou trabalhando nisso, apreciando as mulheres como amigas, vendo-as como uma bela criação de Deus. Para tratá-las não como um objeto, mas como uma pessoa que merece respeito”, contou.

É voluntário na Guilty Pleasure, uma organização que tem como objetivo aumentar a conscientização sobre os efeitos nocivos da pornografia. É ainda um dos entrevistados de um documentário da ABC, realizado pelo jornalista Sabour Bradley. “Meu objetivo em partilhar é realmente para que outros que estão lutando saibam que há esperança e há ajuda lá fora.”

Ponto a Ponto Ideias

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*