Imoralidade Sexual e o Juízo de Deus
(Natan Rufino, VIDEO)

Alguns cristãos parecem não compreender corretamente o que as Escrituras realmente ensinam sobre o pecado. O conceito bíblico para o pecado não se restringe ao mal comportamento de alguém. Pecado não é apenas uma coisa errada que alguém faz. Uma pessoa pode pecar pelo que faz e pelo que deixa de fazer.

Embora comumente associemos a ideia de pecado a alguma coisa de errado que façamos, segundo as Escrituras, pecado também pode ser uma coisa certa que nos furtamos de fazer.

Em Tiago 4.17 está escrito que aquele que SABE FAZER O BEM E NÃO O FAZ nisso está pecando.

Em outras palavras, pecado à luz da Bíblia é fazer aquilo que é proibido, mas também é NÃO FAZER aquilo que é exigido.

Em 1 Tessalonicenses 4 do verso 1 ao 8 Paulo fala claramente sobre a vontade de Deus para cada um de seus filhos: a santificação, e, de forma ainda mais objetiva, a santificação em relação aos desejos sexuais.

Paulo fala sobre “a maneira pela qual devemos viver e agradar a Deus” em relação ao controle do nosso corpo e dos seus impulsos naturais, pois “Deus não nos chamou para a impureza, mas NOS CHAMOU PARA A SANTIFICAÇÃO”.

Santificar-se é mais do que não ver pornografia e mais do que simplesmente não praticar o adultério emocional. Santificar-se é viver à luz do pensamento de que “Deus é um espírito e eu sou o seu corpo”.

Para saber possuir o corpo em santificação e honra é preciso entender a quem ele de fato pertence. Nosso corpo está sob o nosso cuidado, mas tem outros donos antes de nós. “Não sabeis que NÃO SOIS de vós mesmos? Não sabeis que vosso corpo é do Espírito Santo?” (1 Coríntios 6.19). “Porque FOSTES COMPRADOS… glorificai, pois, a Deus no VOSSO CORPO e no vosso espírito, os quais PERTENCEM A DEUS” (1 Coríntios 6.20 – ARC).

Quando um hóspede está na casa de alguém por certo período, ele pode se referir ao lugar da casa onde dorme como “seu quarto”, muito embora o anfitrião seja o verdadeiro dono. Em termos comparativos podemos falar o mesmo em relação ao nosso corpo. É nosso, mas ao mesmo tempo, pertence verdadeiramente ao Senhor:

“Os alimentos são para o estômago, e o estômago, para os alimentos; mas Deus destruirá tanto estes como aquele. Porém O CORPO NÃO É PARA A IMPUREZA, MAS, PARA O SENHOR, e o Senhor, PARA O CORPO” (1 Coríntios 6.13).

O verdadeiro culto a Deus sobre o qual o Novo Testamento ensina se resume a “apresentar o nosso corpo a Deus como um animal a ser oferecido em sacrifício por causa do pecado” (Romanos 12.1). De fato, “a única religião pura aos olhos de Deus é cuidar das pessoas que precisam e MANTER-SE INCONTAMINADO DO MUNDO” (Tiago 1.26,27).

>Ver original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*