Grupo anti-pornografia protesta contra classificação de “50 Tons de Cinza” (virgula.uol.com.br)

Grupo anti-pornografia protesta contra classificação de 50 Tons de Cinza

O aguardado filme 50 Tons de Cinza, baseado no avassalador best-seller homônimo, continua alavancando polêmicas. O filme recebeu a classificação “R” da censura americana – ou seja, ele é considerado “restrito”, por conter material adulto; pais devem se informar sobre o filme antes de levar as crianças para assistirem.

Mas isso não foi o bastante para o grupo anti-pornografia Morality in Media. O grupo quer que a censura mude a classificação, pois acredita que o filme é muito tóxico – por “promover o machismo, além de glamourizar e legitimar a violência contra as mulheres”.

A diretora-executiva do Morality, Dawn Hawkins, divulgou comunicado afirmando que a classificação “R” minimiza os temas violentos do filme e não informa aos pais e responsáveis sobre o conteúdo da obra.
“O filme passa a mensagem de que a humilhação é prazerosa e que a tortura deve ser sexualmente gratificante”, afirma Dawn no comunicado, antes de bombardear o novo trailer da obra.

“O novo trailer diz que é o filme é um conto de fadas, enganando o público e levando-o a pensar que é uma simples história de amor”, argumentou ela. “Violência sexual permeia nossa cultura com pornografia pesada, e isso é reforçado por filmes como 50 Tons de Cinza“.

Enquanto o povo joga lenha na fogueira, a estreia do filme nos EUA continua marcada para 13 de fevereiro.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*