Como a pornografia cria o cliente: Pornografia, tráfico de mulheres e a construção social da masculinidade (Gail Dines/Festival Marginal)

Como a pornografia cria o cliente: Pornografia, tráfico de mulheres e a construção social da masculinidade

(ATENÇÃO: o artigo seguinte, de Gail Dines, cruzado contra a pornografia, contém linguagem ofensiva e sexual, eo artigo ligado contém nudez.)

– Trechos transcritos de várias palestras da feminista Gail Dines

Vamos começar lembrando do filme Uma Linda Mulher.

Pensem na história: um cliente que se apaixona pela prostituta e eles vivem felizes para sempre.

Todos concordam que foi um sucesso não? Faturou milhões. Bilhões provavelmente. E o que Hollywood faz sempre que um filme fatura milhões? Faz de novo, faz a parte 2.

Minha pergunta é: Cadê Uma Linda Mulher 2? Vamos imaginar como seria Uma Linda Mulher 2:

Eles fazem um lindo casamento entre a prostituta e o cliente e eles vão viver numa linda casa. E um dia eles brigam, e então do que ele vai xinga-la?

“Sua puta”
“Sua puta imunda”

“Não discuta comigo porque senão, adivinha, te jogo de volta na rua de onde você veio!”

Me respondam uma coisa, quantas prostitutas vocês acham que vivem felizes para sempre com seus clientes?

Estão vendo porque eles não podiam fazer Uma Linda Mulher 2?

Mulheres foram assistir isso, não foram? E todo mundo amou, certo?

Esse é um sinal de quanto as mulheres estão colonizadas, de como o patriarcado está nas nossas mentes e molda quem somos.

Agora uma pergunta: Que ator estrela de Hollywood bateu tanto em uma mulher que ela acabou no hospital e processou ele? Saiu em todos os jornais britânicos, mas nos EUA nem uma palavra: Jack Nicholson.

Se vocês não acreditam em mim, existe um laudo que está no processo feito pela prostituta. E o laudo diz como ele bateu e jogou ela de cabeça no chão porque não queria pagar pelo programa depois de ter feito sexo com ela e outra mulher.

Viram como a mídia colabora com o silencio para manter isso invisível?

E naquele mesmo ano, depois disso ter acontecido, ele estava na primeira fila dos Oscar e ninguém tocou no assunto.

Conhecem Eliot Spitzer? O cliente mais famoso dos Estados Unidos?

Sabem o que ele era antes de ser desmascarado como um cliente? Governador de Nova York. Antes de ser pego gastando 10.000 dólares por mês em prostitutas sabem o que ele estava prestes a lançar? Uma campanha anti-prostituição. Ele era tão violento como cliente que era difícil achar prostitutas que aceitassem sair com ele e descobriram que ele traficava mulheres de um estado para outro. Ele foi “reabilitado” e agora tem um programa de TV. E sua esposa o apoia.

Mas o que leva homens como Charlie Sheen, Tiger Woods, Eliot Spitzer, Hugh Grant‘s, Jerry Springer e Eddie Murphy, se tornarem clientes?

Vamos analisar uma das forças sociais que constroem a masculinidade. A pornografia.

  1. É a legitimação cultural da compra e venda de mulheres.
  2. É a prostituição filmada: mulheres sendo pagas para fazer sexo. A diferença entre prostituição e pornografia é que você pode continuar vendendo a mulher quantas vezes quiser, mesmo depois de morta você pode vender sua imagem várias e várias vezes. Não existe limitação física das mulheres na pornografia, pois o sexo prostituído está gravado.
  3. É a representação visual do sexo prostituído.
  4. É o uso de mulheres traficadas sexualmente.
  5. É criadora de demanda.

Vou explicar como ela cria a demanda explicando como a Indústria Pornográfica funciona.

Sempre que eu falo sobre pornografia, me dizem que a pornografia sempre existiu, e eu concordo com isso, desde o inicio dos tempos sempre existiu pornografia.

Mas o que eu quero falar é sobre a Indústria Pornográfica.

A Industrialização do Sexo

É necessário conhecer e entender a Indústria Pornográfica para mudar a visão que temos sobre o assunto.

A indústria pornográfica começou em 1953 com a primeira edição da Playboy. Nunca antes na história uma revista pornográfica tinha circulado pelo mainstream do capitalismo. É por isso que temos que pensar nisso como uma indústria. Temos que analisar como um plano de negócios de um pequeno grupo de administradores de empresa pensando em como criar demanda e construir mercado.

É difícil ter estatísticas exatas, mas é uma industria que movimenta aproximadamente 97 bilhões de dólares no mundo todo. E lembrem-se que 97 bilhões de dólares compram muitos políticos na América.

O montante de dinheiro que os pornógrafos investiram para o desenvolvimento da internet foi crucial para a sua criação. A internet não comanda a pornografia, a pornografia comanda a internet.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Pages: 1 2 3 4

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*