Hotéis Hilton banem canais de pornografia de seus estabelecimentos
(Consciência Cristã Vinacc)

Hotéis Hilton banem canais de pornografia de seus estabelecimentos

A Hilton, famosa rede de hotéis, decidiu remover todos os canais de pornografia de seus estabelecimentos em 85 países. A medida foi tomada em meio à pressão popular, e como forma de ajuste às próprias políticas da empresa.

Segundo o portal Life Site News, uma campanha massiva pediu à rede de hotéis que não disponibilizasse para seus clientes canais de pornografia. Estima-se que os executivos da Hilton receberam uma média de mil e-mails por semana com esta solicitação.
“Em parte, [a decisão foi tomada] por pressão popular”, explicou Patrick e. Trueman, presidente e CEO do Centro Nacional contra a Exploração Sexual, entidade que organizou a campanha. “Mas, para dar o crédito à Hilton, eles nos agradeceram no final.”

Trueman explicou que a remoção dos canais de pornografia dos Hotéis Hilton também está em conformidade com uma política interna da empresa, de combate à exploração sexual. “Eles perceberam que não fazia sentido lutar contra isso ao mesmo tempo em que promoviam a pornografia, que tem uma ligação tão próxima [com a exploração sexual]. Traficantes sexuais usam pornografia para vender prostituição. Está tudo conectado”, disse ele.

A rede de hotéis Hilton foi a última dentre as grandes redes hoteleiras a banir os canais de pornografia de seus estabelecimentos. Antes deles, redes como Omni, Drury, Ritz-Carlton e Marriott já haviam tomado a mesma decisão.

De acordo com Rob McIntire, conselheiro para pessoas com problemas de vício em sexo, a decisão foi uma vitória. Para ele, que mora na cidade de Colorado Springs, o problema da pornografia não é grave apenas por sua relação com a exploração sexual, mas por demonstrar a derrocada moral que os Estados Unidos vêm enfrentando nas últimas décadas.

“Em mais da metade dos divórcios no Colorado, a pornografia é apontada como um fator [para a separação]. Muitas mulheres dizem que se sentem humilhadas ao saberem que seus maridos assistem pornografia. Elas dizem que é como ter mais uma pessoa na cama.”

“[Muitos dos meus clientes viciados em sexo] frequentemente interagem com pornografia quando estão em hotéis. Eu também fazia isso. Quando viajava a trabalho, e ficava em hotéis, eu preferia ficar com fome e não comer, só para gastar o valor da minha diária com pornografia”, explicou McIntire.

Para o conselheiro, a medida tomada pela Hilton poderá atrair um público diferenciado aos hotéis da rede.

“Se há um hotel sem pornografia, com certeza eles [viciados em recuperação] vão procurá-los”, disse o conselheiro, explicando que esposas de viciados em pornografia e organizações cristãs podem fazer o mesmo. “Isso pode ser muito lucrativo para Hilton”, concluiu.

Por Mariana Gouveia

Foto: empregopelomundo.com

Revisão Samuel Oliveira

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*