Mulheres são incompartilháveis: Pornografia da vingança ganha força e é consideradara um dos maiores motivos para suicídio entre jovens (Jornal NAÇÃO Brasil)

Mulheres são incompartilháveis: Pornografia da vingança ganha força e é consideradara um dos maiores motivos para suicídio entre jovens

Piadas, perseguição, humilhação eram os crimes cometidos contra as parceiras que terminavam um relacionamento. Mas até para a maldade, e dizem alguns, principalmente para elas, a tecnologia tem ajudado bastante a somar com as atrocidades.

Cresce, assustadoramente, o número de mulheres vítimas da ‘pornografia de vingança’. A expressão é usada para identificar a divulgação, sem autorização, de fotos e vídeos íntimos. É uma prática criminosa e que vem crescendo a cada ano no Estado. Não há dados oficiais, mas em 2014, a delegacia registrou 1.800 ocorrências de delitos pela internet, 38% a mais do que no ano anterior, que teve 1.300 ocorrências. Desses 1.800 boletins, cerca de 360 casos são de cunho sexual, quase um crime por dia. A maioria desses casos ocorre após o fim de um relacionamento, quando o ex-companheiro não aceita o término e quer se vingar. Elas aceitam gravar vídeos ou tirar fotos nuas ou em poses sensuais para satisfazer o companheiro, sem imaginar que, com o fim do romance, eles podem divulgar esse material para denegri-las.

APOLOGIA
“Nem que você me processe, você mente que nem sente; semana passada mesmo, a gente ficou… Sem que você percebesse, eu gravei de nós um vídeo de amor”. Esse é o refrão da música “Eu vou jogar na internet”, da dupla Max e Mariano, que faz clara apologia ao revenge porn, que é a divulgação de vídeo íntimo sem consentimento.

A letra da música deixa explícito o sentimento que define o crime de pornografia da vingança. O eu lírico da canção se queixa de que sua amada o trocou por um “namorado novo”. Como muitas letras de funk, a
ameaça ritmada em forma de canção caem no gosto popular e tornam-se normais.

SUICÍDIO
A faixa etária das vítimas varia entre 16 a 26 anos. Na grande maioria as adolescentes, iludidas com o primeiro namorado aceitam fazer as nudes e acabam vítimas de aproveitadores. Sem estrutura emocional e com medo da vergonha de ser expostas, mais de 30% tomam atitudes drásticas e cometem suicídio.

EVOLUÇÃO
O termo “feminicídio” é comumente usados como sinônimo para a morte de mulheres em razão de seu sexo. O feminicídio é algo que vai além da misoginia, criando um clima de terror que gera a perseguição e morte das mulheres a partir de agressões físicas e psicológicas dos mais variados tipos, como abuso físico e verbal. Ao adicionarmos o conceito “2.0”, podemos sinteticamente nos referir a um estágio específico das mídias digitais, onde a interação e participação ativa é a base estruturante.

A rapidez, o impacto e a amplificação de tudo que transita nas mídias digitais está revelando um lado sórdido, utilizado para expor, humilhar e prejudicar mulheres e adolescentes.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*