Pornografia, a rica indústria que promove pedofilia, estupro e exploração sexual (Grupo Violes)

Pornografia, a rica indústria que promove pedofilia, estupro e exploração sexual Grupo Violes

Por: Clécio Pereira

Segundo Shelley Lubben, ex-atriz pornô americana e uma das principais lideranças antipornografia da atualidade, fundadora da Pink Cross Foundation – organização de caridade pública, dedicada a conceder auxílio emocional e financeiro aos trabalhadores da indústria, a indústria pornô detém os seguintes números:

  • 70 das estrelas pornôs que conhecemos cometeram suicídio.
  • O principal meio de suicídio entre as estrelas pornôs é o enforcamento.
  • 228 estrelas pornôs morreram de AIDS, drogas, suicídio, homicídio; mortes acidentais e prematuras desde 2003.
  • A expectativa de vida de uma estrela pornôs é de 36,2 anos.
  • 38 casos de mortes por drogas entre estrelas pornôs desde 2003.
  • 52 suicídios entre estrelas pornôs desde 2000.
  • A obtenção de clamídia e gonorreia é 10 vezes maior entre os profissionais do ramo do que entre pessoas do município de Los Angeles, entre seus 20-24 anos.
  • 2.396 casos de clamídia e 1.389 casos de gonorreia reportados entre os atuantes, desde 2004.
  • 31 casos de HIV reportados entre estrelas pornô desde 2003.
  • Performances pornográficas experienciam uma chance maior de infecção (20%) do que entre o público geral (2,4%).
  • Entre 130 profissionais héteros e gays morreram de AIDS.
  • 514 estrelas pornôs morreram de AIDS, drogas, homicídio, suicídio e outras mortes prematuras no total.
  • Uma recente análise dos 50 filmes adultos mais vendidos revela que, entre todas as cenas: 48% de 304 cenas contêm agressões verbais, enquanto mais de 88% contêm agressões físicas.
  • Uma recente análise dos 50 filmes adultos mais vendidos revela que, entre todas as cenas, 94% dos atos de agressões são cometidos contra as mulheres.
  • A cada segundo: $3,075.64 é gasto em pornografia. 28,258 estão vendo pornografia e 372 estão procurando por algum tipo de conteúdo pornográfico.
  • 9 entre 10 dos jovens do sexo masculino e aproximadamente um terço das jovens do sexo feminino consomem pornografia.
  • 70% das doenças sexualmente transmissíveis na indústria pornô ocorrem nas mulheres, segundo os dados de saúde pública do município de Los Angeles.
  • Dos 1351 pastores entrevistados, 54% assistiu pornografia online no ano passado.
  • O maior grupo que assiste pornografia online tem entre 12 a 17 anos.
  • A receita mundial da indústria pornográfica em 2006 foi de $97,06 bilhões, dos quais aproximadamente $13 bilhões foram nos Estados Unidos.
  • Existem 4.2 milhões de sites pornográficos, 420 milhões de páginas pornográficas e 66 milhões de pesquisas diárias em mecanismos de busca.
  • Mais de 11 milhões de adolescentes assistem pornografia online regularmente.
  • De todos os domínios online de abuso infantil, 58% estão hospedados nos Estados Unidos.
  • A pornografia infantil é um dos negócios mais crescentes pela internet, sendo que o conteúdo está ficando cada vez pior. Em 2008, a Internet Watch Foundation encontrou mais de 1.536 domínios individuais de abuso infantil.
    Na encontro de 2003 da American Academy of Matrimonial Lawyers, em uma coleta de dados feita pelos advogados de divórcio da nação, os participantes revelaram que 58% de seus divórcios foram resultado do acesso excessivo por uma das partes à pornografia online.

Nesta página específica do site da autora, de onde foram traduzidos os dados supracitados, consta inclusive o acesso para os obituários das vítimas: https://www.shelleylubben.com/stats

Aqui é possível assistir as confissões da senhorita Shelley Lubben sobre sua vida na pornografia: http://www.dailymotion.com/…/x7j3ve_shelley-lubben-on-700-c…

Aqui é possível ter imagem de algumas das pessoas que morreram graças à indústria, tanto homens quanto mulheres, sendo que se evidencia que a maioria das mortes foi ou por suicídio ou por overdose de alguma droga. O vídeo também foi feito por Shelley Lubben e gostaria de atentar para a atriz que morreu durante a filmagem de uma cena de Bondage. https://www.youtube.com/watch?v=r0q_VGacfNk

Agora, espera mais um pouco porque eu ainda não terminei. Eu gostaria de mostrar um pouco o tamanho deste monstro:

  • A estimativa é que há 4.2 milhões de sites pornográficos – 12% de todos os sites existentes -, permitindo o acesso de 72 milhões de visitantes pelo mundo afora mensalmente. Um quarto de todas as pesquisas diárias, isto é, 68 milhões, é por material pornográfico, onde 40 milhões dos americanos são visitantes regulares.
  • Chatsworth, Califórnia, produz 85% de todo o conteúdo adulto mundial. Todas as maiores agências de talentos femininos estão localizados em Chatsworth ou em suas proximidades. As atrizes femininas são levadas para Chatsworth para trabalharem na indústria pornográfica. Todos os maiores talentos masculinos mundiais moram ou viajam para Chatsworth para contracenar. Quase todas as maiores e menores companhias de DVDs adultos estão localizadas na região de Chatsworth.
  • A indústria de filmes adultos norte-americana produz cerca de 4.000 a 11.000 filmes por ano e ganha a estimativa de $9-13 bilhões em sua receita bruta anual.
  • U

  • ma estimativa de de 200 companhias de produção emprega de 1.200 a 1.500 atores. Os atores ganham tipicamente entre $400 a $1.000 dólares por cena e não são compensados na base da distribuição ou da venda.

Caso não tenha ficado muito claro, a indústria do sexo (Não só a de produção de filmes, porque tudo está ligado) lucra mais que:

  • Hollywood;
  • NFL (The Nation Football League), NBA (The Nation Basketball Association) e MLB (The Major League Baseball) JUNTAS;
  • NBC, CBS e ABC JUNTAS;
  • Companhias de alta tecnologia como Google, Microsoft, Yahoo, Apple, Netflix, EBay e Amazon JUNTAS.

Sobre outros estudos, após ao consumo de algum tipo de produto pornográfico, o homem está mais propício a:
Demonstrar menor empatia por vítimas de estupro;

  • Ter tendência a um crescente comportamento agressivo;
  • Acreditar que mulheres vestidas provocativamente estão abertas para o estupro;
  • Demonstrar agressividade contra mulheres que flertam e então se recusam ao sexo;
  • Demonstrar um crescente desinteresse sexual por suas esposas e namoradas;
  • Demonstrar um maior interesse em coagir parceiros a atos sexuais indesejáveis.

Alguns comentários feito pela atriz pornô Sheena Shaw e a violência a que está submetida: http://www.vice.com/…/r…/um-botao-de-rosa-que-cheira-a-merda

Sobre a violência perdurante as filmagens:

  • Apenas 9,9% das cenas mais vendidas possuem algum tipo de comportamento como beijo, riso, acariciamento ou elogio;
  • Tapas ocorrem em cerca de 41.1% das cenas;
  • O sexo apresentado em filmes pornográficos normalmente está focado no prazer sexual masculino e em seu orgasmo, ao invés de estar igualmente com o das mulheres;
  • Aproximadamente 20% de todo o conteúdo pornográfico na internet trata-se de abuso sexual infantil.

Há mais dados no seguinte site: http://stoppornculture.org/…/about-the…/facts-and-figures-2/

Sobre a insensibilização do consumidor, o seguinte texto que traduzi também monstruosamente explica como, através da pornografia, o homem fica apático às relações sexuais casuais, levando-o até à impotência.

“Será que assistir muita pornografia possivelmente causa problemas com a performance sexual masculina, como disfunção erétil?” Evidências sugerem crescentemente que este pode ser um dos efeitos colaterais da fascinação do homem pela pornografia, e isto ainda pode estar se tornando o mais comum problema da saúde sexual masculina.

Uma pesquisa com mais de 28.000 homens italianos descobriu que o consumo excessivo de pornografia, começando aos 14 anos, e o consumo diário entre o início e meados dos 20 anos, insensibiliza os homens para até as mais violentas imagens. De acordo com o chefe da ‘Società Italiana di Andrologia e Medicina della Sessualità’ (SIAMS), isto pode causar disfunções sexuais masculinas pela diminuição de libido e eventualmente levando à inabilidade para a ereção.

“Devido à pornografia disponível na internet, nós estamos descobrindo que este tipo de disfunção sexual é uma entidade real”, diz David B. Samadi, Doutor em Medicina, presidente do departamento de urologia e chefe de cirurgia robótica no Hospital de Lenox Hill, em Nova Iórque. “É um problema no cérebro, não no pênis.”.

Até certo ponto, disfunção erétil relacionada à pornografia pode afetar qualquer, mas Dr. Samadi diz que lhe parece mais propenso entre homens jovens que estão em sua adolescência ou no início dos 20 anos.

Em referência aos estudos da Escola de Saúde Pública Johns Hopkins Bloomberg, em Baltimore, descobriu que cerca de 18 milhões de americanos possuem disfunção erétil, significando que eles são incapazes de obter e manter uma ereção suficiente para a relação sexual. O problema pode ser físico, em relação ao bloqueio de sangue para o pênis; psicológico, ou uma combinação.

“Na maioria das vezes, doenças crônicas, como doenças cardíacas e diabetes, contribuem para a disfunção erétil; mas na minha prática particular, eu diria que 15 a 20 porcento das disfunções eréteis que eu vi estavam relacionadas ao consumo de pornografia,” diz Muhammed Mirza, Doutorado em Medicina, um internista baseado na Cidade de Jersey, Nova Jersey, e fundador da ErectileDoctor.com

Você tem risco de obter uma disfunção erétil relacionada à pornografia?

Não é necessariamente quanto de pornografia que a pessoa assiste. O tipo pode ter também um papel, diz Samadi. Diferente das imagens pornográficas “softcore” (Brandas) que encontramos em revistas como Playboy ou Penthouse, pornografia online é geralmente mais visual e retrata comportamentos bizarros, depravados e violentos. Está também disponível 24 horas.

Pornografia pode levar a expectativas irreais que aumentam a tolerância de uma pessoa para o sexo. Samadi comparou o fenômeno com o que ocorre quando alguém consome consistentemente mais e mais álcool. Eventualmente, a pessoa tem mais dificuldade em se sentir embriagada. O mesmo ocorre com a pornografia e a performance sexual.

“Você precisa de mais e mais estímulos já que você criou uma certa tolerância, e então surge a possibilidade com a sua esposa ou parceira, e você não é mais capaz de fazê-lo,” ele diz. Muita pornografia pode insensibilizar o homem para o sexo, e, eventualmente, ele pode ficar incapaz de se excitar com encontros sexuais casuais, Samadi explica.

O consumo crônico de pornografia pode causar uma mudança nas químicas cerebrais que contribuem para disfunção erétil, diz Dr. Mirza. “Suas expectativas se tornam maiores do que o normal,” ele diz. “Se você assistir qualquer imagem de um vídeo pornográfico, elas são ampliadas. Não é assim que uma anatomia normal age.

Samadi concorda: “Muitas das imagens que aparecem na pornografia são irreais e aumentadas,” ele diz. “Ninguém pode seguir com isto por horas.”

“Isto é muito diferente da vida real”, diz Nicole Sachs, Assistente Social Clínica Licenciada, assistente social em Rehoboth, Delaware, e autora de “The Meaning of Truth.”. As imagens irreais vistas em algumas pornografias podem levar o homem ou a mulher a se sentirem autoconscientes, o que poderia levar a problemas com a função e a intimidade, ela diz.

“O que parece tão fácil na pornografia vira um trabalho árduo na vida real,” ela diz. “O sexo na pornografia ou mesmo na prostituição é rápido, fácil e impessoal,” ela diz. “A intimidade é difícil e pode se tornar embaraçosa.” Uma fila de vídeos pornôs pode parecer um meio fácil para extravasar, mas isto pode levar a um ciclo vicioso. “Impotência gera impotência e o interesse em pornô surge daí,” ela explica.” http://www.everydayhealth.com/…/erection-problems-this-hab…/ (Em inglês)

Um outro vídeo interessante sobre a insensibilização pela pornografia, legendado em português: https://www.youtube.com/watch?v=BMgAJwc7ocE

Quanto aos sindicatos, eu só encontrei esta notícia sobre o assunto (Em inglês): http://inthesetimes.com/…/jenna_jameson_calls_for_porn_star…

É válido notar que a notícia é de 2010. 2010!

Sobre Linda Lovelace, o site de onde copio este texto estará logo a seguir:

“Em respostas às sugestões deles, eu o informei que não me envolveria em prostituição de forma alguma e o avisei que queria ir embora. [Traynor] me batia e o abuso psicológico começou também. Eu literalmente me tornei uma prisioneira. Eu não era autorizada a sair de sua vista, nem mesmo pra ir ao banheiro, onde ele me assistia pelo buraco na porta. Ele dormia em cima de mim à noite, ele ouvia meus telefonemas com uma calibre 45 apontada pra mim. Eu apanhava e sofria abuso psicológico todo e cada dia. Ele cortou minhas ligações com outras pessoas e me forçou a casar com ele, aconselhado pelo seu advogado.”

Aqui ela fala da primeira experiência na pornografia:

“Minha iniciação na prostituição foi um estupro grupal de cinco homens, arranjado pelo Sr. Traynor. Foi um ponto determinante na minha vida. Ele ameaçou atirar em mim se eu não continuasse. Eu nunca tinha experimentado sexo anal antes e isso me partiu ao meio. Eles me trataram como uma boneca inflável, me pegando e me colocando aqui e ali. Abrindo minhas pernas assim ou assado, enfiando suas coisas em mim e dentro de mim, brincando de dança das cadeiras com as partes do meu corpo. Eu nunca me senti tão assustada e desgraçada e humilhada na minha vida. Eu me senti como lixo. Me envolvi em atos sexuais por pornografia contra a minha vontade pra evitar ser morta. As vidas de meus familiares foram ameaçadas.”

Agora, o que a maioria das pessoas não sabem e que é, possivelmente, a pior coisa que Lovelace presenciou. Por um vislumbre de horror, há um vídeo tão horrível que ela se recusou a reconhecer que participou nele de qualquer forma, até uma cópia vazou e a prova conclusiva foi dada.

É chamado “Cachorro Comedor” e é, provavelmente, auto-explicativo. Linda Lovelace é forçada a ser penetrada por um cachorro, em frente à câmera, contra sua vontade. Ela foi forçada a gravar depois de seu marido/agente/abusador/estuprador apontar uma arma em sua cabeça e lhe dar duas opções: gravar o filme ou comer uma bala. Eu não vou entrar em mais detalhes, isso é suficiente pra dizer o tipo de abuso que tem sido pra grande parcela da pornografia desde sua inserção moderna, nos anos 70.” https://nosotraslasbrujas.wordpress.com/…/a-industria-que-…/

[COMPLEMENTO: Agradeço a Caroline Jamhour, a Beatriz Sampaio, a Marilia Cancelli, a Natalia Forcat, ao Augusto Carvalho, ao Gustavo Henrique Palazzo e quem mais puder fornecer mais pontos para o assunto:]

Aqui há mais um pequeno documentário sobre o assunto (Quase 12 minutos), que inclusive conta com a aparição da senhorita Shelley Lubben. O vídeo começa com cenas fortes – o que já evidencia o verdadeiro estupro que ocorre nessa indústria -, então sugiro que, caso tu não tenhas um estômago muito forte, ou isto possa levar-te a lembranças não muito boas, que não o vejas. Ele está completamente em português: https://www.youtube.com/watch?v=hIok-mr12P0

Sobre a forma como as atrizes são coagidas a entrar para essa indústria, de uma forma ou de outra, fica o exemplo da senhorita Sasha Grey. Dizia-se que ela teve uma vida mansa durante sua vida na indústria, não sofrendo o que foi denunciado aqui; porém, parece que a história é bem diferente (Lê-se pior) do que seus fãs fazem parecer. Traduzi a seguinte notícia do inglês, sendo que o link para a mesma – e para outras duas sobre o mesmo assunto – estará logo após à tradução.

“Sasha Grey diz que ela foi “atraída” [Estas aspas são por minha conta] para a pornografia pelo seu violento e abusivo ex-namorado – que a convenceu de que ele era um espião militar que precisava de “cobertura”… E agora ela tem medo de que ele possa voltar para machucá-la.

Grey diz em novos documentos judiciais que Ian Cinnamon a submeteu a anos de abuso e agressões sexuais – iniciadas em 2005, quando ela tinha 16 e ele tinha 29 anos.

Grey diz que foi Cinnamon quem a convenceu a se tornar uma estrela pornô, dizendo que ele era um agente secreto e que ela seria uma ótima cobertura para ele. E foi assim: ele a convenceu de que trabalhava para DIA (Defense Intelligence Agency).

Grey diz que Cinnamon se tornou fisicamente abusivo. Em uma ocasião, ela disse que ele havia se esquecido de checar os testes de DSTs de um dos seus contracenantes, e ele ficou furioso, lançando objetos da casa contra ela.

Grey diz que ela terminou o relacionamento em 2012 [Ela saiu do cinema pornô em 2011] e ele recentemente começou a enviar-lhe inúmeras mensagens com ameaças – algumas com imagens de pistolas.

Um juiz concordou que Cinnamon era uma ameaça e o ordenou que mantesse uma distância de 182,88 metros (200 jardas) dela.

Tentativas de encontrar Ian não tiveram sucesso.”

http://www.tmz.com/…/sasha-grey-restraining-order-porn-boy…/

http://www.complex.com/…/2014/08/sasha-grey-forced-into-sex…

http://www.thisis50.com/…/former-porn-star-sasha-grey-claim…

De como a pornografia atinge até o que se é crido inocente:

Provavelmente, tu já deves ter ouvido ou visto algum anime. São aquelas animações japonesas bastante famosas e que, no geral, não possuem nada de mais. Há ótimos animes por aí, com enredos comparáveis ou melhores que o de grandes filmes e livros. Agora, acontece de haver alguns animes com conteúdo sexual, literalmente um pornô em forma de desenho, o que se chama de “hentai” normalmente. E o que segue disto é que, em muitas dessas obras, desses desenhos sexualizados, há coisas tão piores quanto o que se pode encontrar em um vídeo pornô “comum”.

Há um meme aqui no mundo digital sobre uma dita lei que vinga pela internet. Em inglês, é chamada de “Rule 34” (Lei 34), e ela diz: “If it exists, there is porn of it. No exceptions”, ou: “Se existe, há pornô disto. Sem exceções.”. Há um site de fotos que explica exatamente o problema desta lei, tendo inclusive o mesmo nome dela (Rule 34).
Eu quero que penses em algum desenho da tua infância, alguma coisa que marcou verdadeiramente os teus anos na inocência. Pensou? Há pornô disto.
E não falo só de animes, mas o costume é de se chamar de “hentai” qualquer desenho pornográfico, mesmo que não tenha raízes nipônicas. Pelo menos até onde eu sei.

O site é http :// rule 34 .paheal .net/ (Tira os espaços)

Neste site, é possível encontrar, entre outras coisas, sexo com mortos-vivos, com animais, entre animais, com tentáculos, com aliens e monstros mitológicos. É possível encontrar estupro, é possível encontrar montagens com atrizes famosas em cenas de sexo explícito… Bem, é possível!
É preciso pesquisar em inglês, sendo que, para separar as palavras, é preciso usar o underline [ _ ] ao invés do espaço.

Sobre outras coisas que fazem parte do “maravilhoso” mundo dessas animações sexuais, eu gostaria de apontar alguns gêneros do meio:

Shotacon
Lolicon
Toddlercon

O link dá para um tumblr sugerido nos comentários. Neste link há uma dezena de complementos ao que aqui foi dito. Está em inglês, mas pretendo traduzi-lo mais tarde.

http://luaren.tumblr.com/…/yeah-because-you-can-totally-tel…

Agora… O link a seguir é absolutamente o pior de todos. É literalmente um vídeo pornô com a cabeça decomposta de uma vaca. É possível notar alguns comentários logo abaixo do vídeo. A maioria está em inglês, mas há um ou outro em espanhol e alemão. Provavelmente a coisa mais escatológica que já vi.
O link está separado para que ninguém possa clicar sem querer. Se tu realmente quiseres assistir isto – o que não é uma boa ideia -, basta juntar todo o corpo do link, apagando os espaços.

http://www. putridsexobject. com/index. php?comm _page=23

Aqui está um programa de autoajuda para dar fim ao vício em pornografia, promovido pelo padre Paulo Ricardo. Eu não sou católico, mas acredito que este vídeo possa ter algum valor para professantes ou não.

https://padrepauloricardo.org/…/como-se-livrar-do-vicio-da-…

———————————————————————————–

Das minhas considerações finais:

Tudo o que sei é que esta indústria precisa ser destruída e o seus danos reparados o mais rápido possível. E por indústria, eu não falo apenas das produtoras de filmes adultos. Eu falo da prostituição, das revistas eróticas que são expostas em bancas de jornais em plena luz do dia – inclusive, mais expostas do que qualquer outra revista ou livro com algum conteúdo verdadeiramente informativo. Falo das imagens pornográficas que circulam por aí, dos eventos sexuais promovidos por quem também promove o estupro; e falo primeira e absolutamente de quem lê estes dados e ainda insiste em defender uma peça satânica como esta. Esta indústria, a indústria do sexo, é um mal civilizacional e deve ser extinta pelo fogo e pelo ferro, junto com aqueles que com ela colaboram mesmo em ciência do que já foi dito e repetido.

Ela está vinculada com as drogas, com estupro, com a pedofilia, com a exploração tanto feminina quanto masculina, com o fim do casamento e da sexualidade sadia; está vinculada à humilhação da mulher e a destruição do homem. Ela elimina a intimidade e transforma o que deveria ser louvável em um amontoado de lixo sobre lixo; torna o amor e o contato humano em um joguinho de consumo esdrúxulo sem quê nem por quê, senão revender a degeneração pelo prazer, a morte pelo orgasmo. O hedonismo é o que separa o ser humano em espécie do ser humano em verbo. Um vício diabólico como este, assim como quem o promove, não viverá por muito tempo.

Fonte: Facebook

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*