Os Danos Da Pornografia Em Adultos E Jovens (Fuja Crente)

Os Danos Da Pornografia Em Adultos E Jovens

Os danos da pornografia

TODO tipo de matéria sobre sexo é fácil de se obter na televisão, no cinema, nos vídeos musicais e na internet. Será que essa implacável invasão de imagens pornográficas e sexualizadas é inofensiva, como muitos querem nos fazer crer?

Os efeitos da pornografia sobre adultos

Apesar do que dizem seus defensores, a pornografia causa profundos efeitos negativos no conceito das pessoas sobre sexo e comportamento sexual. Pesquisadores da Fundação Nacional de Pesquisa e Educação da Família (dos EUA), concluíram que “a exposição à pornografia coloca os usuários sob risco crescente de desenvolver tendências de desvios de comportamento sexual”. Segundo o informe, “o mito do estupro (a crença de que as mulheres provocam e gostam do estupro, e que os estupradores são pessoas normais) é bastante difundido entre costumeiros usuários masculinos de pornografia”.

Alguns pesquisadores dizem que o uso constante da pornografia pode prejudicar a capacidade de usufruir e participar da intimidade conjugal normal. O Dr. Victor Cline, especialista no tratamento do vício do sexo, tem observado uma sucessiva progressão no uso da pornografia. Se não for coibido, o que começa com uma olhada casual na pornografia pode escalonar para matéria cada vez mais explícita e aberrante. Isso, diz ele, pode levar a atos sexuais desnaturais. Cientistas behavioristas concordam com isso. O Dr. Cline informa que “dessa maneira pode-se desenvolver qualquer tipo de desvio sexual . . . e que isso não pode ser eliminado nem mesmo por meio de enormes sentimentos de culpa”. Por fim, o usuário talvez tente realizar as fantasias imorais baseadas na pornografia, muitas vezes com resultados devastadores.

O avanço desse problema pode ser gradual e imperceptível, concluiu Cline. Ele diz: “Como um câncer, continua a crescer e a se espalhar. Raramente retrocede, e é também muito difícil de tratar e de curar. A recusa por parte do viciado de admitir e enfrentar o problema é típica e previsível, e isso quase sempre leva à desarmonia conjugal e, às vezes, ao divórcio ou ao colapso de outras relações íntimas.”

Danos aos jovens

As estatísticas mostram que os principais consumidores de pornografia são rapazes de 12 a 17 anos. De fato, para muitos, a pornografia é sua fonte primária de educação sexual. Isso resulta em desdobramentos muito perturbadores. “A gravidez de adolescentes e as doenças sexualmente transmissíveis, como a Aids”, diz certo informe, “são totalmente inexistentes na pornografia, dando a falsa impressão de que os comportamentos retratados na pornografia não têm nenhuma conseqüência negativa”.

Alguns pesquisadores dizem que a exposição à pornografia pode também afetar o desenvolvimento normal do cérebro de uma criança. A Dra. Judith Reisman, presidente do Instituto para a Educação da Mídia (dos EUA), conclui: “Observações neurológicas sobre a reação instintiva do cérebro a imagens e sons pornográficos, e como isso afeta a saúde, indicam que ver pornografia é um evento biologicamente significativo que passa por cima do consentimento esclarecido [processo de aceitar algo depois de saber o que está envolvido] — e isso é prejudicial para os moldáveis cérebros juvenis, pois compromete sua compreensão da realidade e, assim, sua saúde mental e física, seu bem-estar e busca da felicidade.”

Efeitos sobre relacionamentos

A pornografia molda atitudes e influencia o comportamento. Suas mensagens são tentadoras principalmente porque são fantasias e, assim, apresentadas como sendo mais excitantes do que a realidade. (Veja o quadro “Que mensagem você aceitará?”.) “Pessoas que usam pornografia criam expectativas irreais que prejudicam relacionamentos”, diz certo informe.

A pornografia pode destruir a confiança e a franqueza, qualidades essenciais no casamento. Visto que em geral é feito em secreto, o uso da pornografia muitas vezes leva a enganar e a mentir. O cônjuge se sente traído. Não entende por que seu parceiro não mais o acha atraente.

Prejuízo espiritual

O uso da pornografia causa sério dano espiritual. Pode tornar-se um obstáculo real para quem busca uma relação com Deus.* A Bíblia vincula o apetite sexual à cobiça e idolatria. (Colossenses 3:5) Quem cobiça algo faz desse objeto de desejo a coisa dominante na sua vida, eclipsando qualquer outra coisa. Na verdade, os viciados em pornografia colocam seus desejos sexuais acima de Deus. Assim, fazem disso seu ídolo. A ordem de Deus é: “Não deves ter quaisquer outros deuses em oposição à minha pessoa.” — Êxodo 20:3.

A pornografia destrói relações amorosas. O apóstolo Pedro, um homem casado, exortou os maridos cristãos a honrar suas esposas. O marido que não faz isso descobre que suas orações a Deus ficam impedidas. (1 Pedro 3:7) Será que observar secretamente imagens indecentes de mulheres seria honrar sua própria esposa? Como ela se sentiria se descobrisse isso? E o que pensaria o Deus que levará “toda sorte de trabalho a julgamento” e que faz “a avaliação dos espíritos”? (Eclesiastes 12:14; Provérbios 16:2) Quem usa pornografia tem alguma razão para esperar que suas orações sejam ouvidas por Deus?

Insistir na autogratificação a todo custo é inerente ao uso da pornografia. Assim, ver pornografia é desamoroso. Mina a luta do cristão para manter a castidade e uma posição moral limpa perante Deus. “Isto é o que Deus quer”, escreveu o apóstolo Paulo, “que vos abstenhais de fornicação; que cada um de vós saiba obter posse do seu próprio vaso em santificação e honra, não em cobiçoso apetite sexual . . . , que ninguém vá ao ponto de prejudicar e de usurpar os direitos de seu irmão.” — 1 Tessalonicenses 4:3-7.

A pornografia explora em especial mulheres e crianças. Ela as rebaixa e lhes rouba a dignidade e os direitos. Quem usa pornografia participa nisso e apóia tal exploração. “Não importa quão bom o . . . homem se considere”, afirmam os pesquisadores Steven Hill e Nina Silver, “sua aprovação tácita da pornografia faz dele no mínimo [um insensível] e, no pior dos casos, um misógino [que despreza ou tem aversão às mulheres] com relação à própria pessoa que ele alega zelar”.

Os perigos de ver pornografia são reais. É algo prejudicial e destrutivo. Corrompe quem a produz e quem a usa. É um insulto a homens e a mulheres, um perigo para as crianças e um costume que deve ser rejeitado.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*