‘El País’ mostra rede de prostituição formada para trabalhar na Olimpíada (G1)

El País mostra rede de prostituição formada para trabalhar na Olimpíada

O jornal espanhol “El País” mostra nesta terça-feira (2) o dia a dia de mulheres que foram ao Rio de Janeiro aproveitar a movimentação turística provocada pela Olimpíada para se prostituir.

Elas vêm de diversas cidades brasileiras e trabalham oito horas por dia em boates de Copacabana e do centro do Rio. Chegaram por intermédio de um matemático e do gerente de uma das boates, que nunca tinham trabalhado com prostitutas. De acordo com o “El País”, o matemático contratou cerca de 150 mulheres oferecendo, inclusive, passagem de ia e volta, alimentação, transporte e hospedagem.

Algumas das mulheres contaram suas histórias à repórter do jornal. Elas dizem que não gostam de se prostituir, mas resolveram ir ao Rio para juntar mais dinheiro e esperam retomar a vida normal depois dos jogos.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*