Respeitar, proteger e garantir: esse é o lema dos Jogos Olímpicos Rio 2016! (Childhood Brasil)

Respeitar, proteger e garantir: esse é o lema dos Jogos Olímpicos Rio 2016!

Na semana passada, a campanha Respeitar, Proteger e Garantir foi lançada na cidade-sede do evento esportivo mais esperado do ano. Diversos voluntários do mundo inteiro se colocaram à disposição para disseminar informação a respeito do enfrentamento ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. Também estiveram presentes representantes de instituições que fazem parte da campanha, como a Childhood Brasil, e o atleta olímpico Hugo Parisi, que cedeu sua imagem de forma gratuita e solidária à iniciativa.

A expectativa é que, durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, ocorra uma proteção integral das crianças e dos adolescentes na cidade e que essas ações de mobilização e engajamento ultrapassem o período da competição. Assim, as atividades visam envolver o máximo de instituições, governos e outras organizações da sociedade civil durante o evento na prevenção da violação de direitos mais recorrentes: a exploração sexual infantojuvenil, o trabalho infantil, o uso de álcool e outras drogas, crianças e adolescentes em situação de rua e crianças e adolescentes perdidos ou desaparecidos. A sensibilização da população acerca do assunto, a instrução a respeito do que se pode fazer pela proteção à infância e a disseminação de informação sobre violações dos direitos de crianças e adolescentes estão entre as ações programadas pela campanha.

A iniciativa faz parte do projeto “Rio 2016: Olimpíadas dos Direitos da Criança e do Adolescente”, uma continuidade da ação promovida para a Copa do Mundo FIFA 2014 que, à época, tinha como meta o combate à exploração sexual infantil. A realização é da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e conta com o cofinanciamento da União Europeia, do governo federal, do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI), da ECPAT Brasil, do Centro de Defesa dos Direitos de Crianças e Adolescentes do Rio de Janeiro (Cedeca-RJ), do Comitê de Proteção Integral a Crianças e Adolescentes nos Megaeventos do Rio de Janeiro, do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 e da Rede de Gestores formada por representantes de treze capitais brasileiras.

Faça você também a sua parte pela proteção à infância e confira as dicas de como aproveitar os Jogos Olímpicos Rio 2016 com consciência.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*