Mulheres em debate nacional
(Jornal de Angola)

240816_mulheres

As mulheres devem criar grupos de aconselhamento, para ajudar aquelas famílias que ainda se debatem com conflitos no lar, violência doméstica, uso excessivo do álcool, prostituição e gravidez precoce.

Fotografia: Nicolau Vasco

A Organização da Mulher Angolana (OMA) realiza em Novembro, em Moçâmedes, o quarto Encontro Nacional de Aconselhamento Jurídico com a abordagem focada nos conflitos familiares, informou ontem a secretária provincial da organização, Josefa de Assunção André Miguel.

Ao intervir na abertura da segunda reunião ordinária do Comité Provincial da OMA, a secretária provincial apelou à participação massiva das mulheres nas tarefas em torno desta actividade, para que os objectivos traçados sejam concretizados.

As mulheres devem criar grupos de aconselhamento, para ajudar aquelas famílias que ainda se debatem com conflitos no lar, violência doméstica, uso excessivo do álcool, prostituição e gravidez precoce. A reunião apreciou e aprovou os relatórios de actividades do Secretariado Provincial referente aos meses de Fevereiro a Junho, o plano de actividades do secretariado para o segundo semestre, composição dos grupos de acompanhamento do Secretariado Provincial, entre outros.

Recentemente, a secretária-geral da Organização da Mulher Angolana (OMA), Luzia Inglês, defendeu o aproveitamento do potencial da mulher para que esta possa desenvolver um papel activo no resgate dos valores morais, na exaltação da cidadania e na divulgação dos valores culturais.

Luzia Inglês referiu que o progresso de todo e qualquer país depende da participação efectiva das mulheres na sua vida politica, económica, social e cultural. “É importante continuar a criar estratégias de paz, igualdade, desenvolvimento e de defesa dos direitos das mulheres”, afirmou.

Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*