Westworld: Evan Rachel Wood e os produtores Jonathan Nolan e Lisa Joy repercutem cena de sexo coletivo (AdoroCinema)

Westworld: Evan Rachel Wood e os produtores Jonathan Nolan e Lisa Joy repercutem cena de sexo coletivo

(NOTA: E se “humanizar” significa ser horrorizado e insultado o suficiente para nunca mais assistir isso de novo?)

“É sobre humanizar os anfitriões, é sobre controle.”

Há cerca de um ano, Westworld virou manchete de notícias quando uma infame especificação no contrato dos figurantes rendeu uma polêmica devido ao teor adulto da cena em que deveriam participar. Neste domingo, a tal cena enfim foi ao ar, no episódio 5 – “Contrapasso”.

Em entrevista à Entertainment Weekly, os produtores Jonathan Nolan e Lisa Joy contaram sobre o processo de filmagens, revelando que este é um território novo para ambos. Ainda assim, a nudez na série não existe para um “mero deleite”:

“É sobre humanizar os anfitriões, é sobre controle. Este é o episódio em que nós vamos fundo — mostrando o puro prazer deste lugar”, contou Nolan, explicando que as gravações ocorreram em um set fechado, a fim de que o ambiente fosse o mais respeitoso possível, tanto para os atores principais quanto para os figurantes.

Lisa Joy destaca que para a nova cidade apresentada no episódio, Pariah, a nudez e a sensualidade são elementos que fazem parte. A produtora relata que o importante não é exatamente que fosse uma cena fetichista, mas que fosse sensual: “Parte disso é ver pelos olhos de Dolores. É novidade para ela, ela nunca viu coisas daquele jeito antes, e é estranho, assustador e diferente. Mas para muitos dos anfitriões, eles foram designados para agirem simplesmente daquela forma.”

Conversando com o THR, Evan Rachel Wood também contou de sua experiência gravando a cena:

“Foi um dos dias mais loucos de filmagem que eu tive em toda a minha vida. Toda hora eu voltava para um cantinho, colocava os fones no ouvido e tentava me desligar, porque eu também tinha que sentar lá e não reagir ao que eu estava vendo, e isso foi… as pessoas estavam pintadas com tinta dourada e vermelha, havia orgias, e não havia nenhum aviso. Nós simplesmente entramos no set e ali estava. Jimmi Simpson [que interpreta William] e eu meio que nos seguramos um no outro”, contou.

Mas para além da orgia, “Contrapasso” foi um episódio altamente significativo para Dolores e sua evolução na trama. Wood destaca: “Acho que ela está assustada com o que está acontecendo, mas tamém está compelida a ver para onde isso irá levá-la.”

Joy e Nolan completamentam explicando que a jornada de Dolores é movida por um questionamento. Ao mesmo tempo em que notamos a anfitriã protagonizando uma espécie de empoderamento, ela o faz porque ouve uma voz em sua cabeça – e isso acontece para gerar uma reflexão:

“Ela parece estar crescendo pessoalmente e fazendo as próprias escolhas. Mas ao mesmo tempo ela está ouvindo vozes e isso te faz questionar o quanto é realmente ela fazendo isso. Westworld é meio que uma Boneca Russa da realidade. O objetivo é que vocês pensem nesta questão”, finaliza Nolan.

Leia aqui a nossa análise do episódio.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*