Comunidades rurais do país com mais programas sociais (Jornal de Angola)

Travar os abusos a crianças - Jornal de Angola

A barragem de Laúca, na província de Malanje, registam “um índice elevado de pobreza, de gravidez precoce e prostituição”, estando o último fenómeno social a causar um elevado número de seropositivos.

Ana Paulo

Um protocolo para a implementação de projectos de promoção da igualdade de género e desenvolvimento das mulheres, das famílias e das comunidades foi rubricado ontem, em Luanda, entre o Ministério da Família e Promoção da Mulher e a construtora brasileira Odebrecht.

O documento foi assinado pelo director do Gabinete de Intercâmbio do Ministério da Família e Promoção da Mulher, Adriano Gaspar, e pelo gerente de Responsabilidade Social da Odebrecht, Esteves Mbela, numa cerimónia assistida pela ministra Filomena Delgado e pela directora nacional dos Direitos da Mulher, Maria das Dores Soledade.

Por força do acordo, a Odebrecht vai conceder apoio técnico a projectos que contribuem para a redução da pobreza e a integração efectiva das famílias vulneráveis no desenvolvimento económico e social do país. O apoio da construtora brasileira é também destinado a acções de combate à violência doméstica, à promoção do associativismo e à solidariedade social.

A ministra da Família e Promoção da Mulher informou, depois da assinatura do protocolo, que as comunidades adjacentes ao local onde está em construção a barragem de Laúca, na província de Malanje, registam “um índice elevado de pobreza, de gravidez precoce e prostituição”, estando o último fenómeno social a causar um elevado número de seropositivos. As comunidades locais vão beneficiar de vários projectos no domínio da alfabetização e do empreendedorismo, onde se inclui a agricultura familiar, salientou Filomena Delgado, que lembrou haver também parcerias com a multinacional Coca-Cola, no âmbito do projecto global “By Five”, que vai beneficiar 60 mulheres do município de Viana, e com a empresa de telefonia móvel Unitel, que financia um projecto em Cacuaco nos sectores da Saúde e das Águas.

O responsável pela área de responsabilidade social da Odebrecht, Esteves Mbela, sublinhou que, junto à área onde está em construção o projecto hidroeléctrico de Laúca, existe uma vasta região com aldeias desestruturadas, em cujo local vão ser executados projectos de responsabilidade social, nas áreas da saúde, educação e de geração de rendas.

Nas províncias do Cuanza Norte, Cuanza Sul e Malanje, a Odebrecht vai desenvolver também programas de agricultura familiar e de educação em saúde materno-infantil. “Queremos que esses projectos tenham sustentabilidade a longo prazo”, desejou o alto funcionário da Odebrecht.< >Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*