5 formas de influenciar seu filho a evitar pornografia (Rick Thomas)

5 formas de influenciar seu filho a evitar pornografia

O problema para muitos de nós é que não entendemos a sedução insidiosa da pornografia ou de como nosso comportamento, embora não intencional, pode induzir uma criança a desejar algo que pode levá-la.

Antes de apresentar as cinco formas de influenciar seu filho a evitar pornografia, deixe-me estabelecer dois pontos importantes. O primeiro é que nenhum pai quer que seu filho se envolva com este tipo de mídia. E todos concordam com isso.

O problema para muitos de nós é que não entendemos a sedução insidiosa da pornografia ou de como nosso comportamento, embora não intencional, pode induzir uma criança a desejar algo que pode levá-la a uma vida de escravidão.

Sempre há consequências não intencionais por nossas ações. Não podemos agir de uma maneira, boa ou má, e achar que as nossas ações não terão consequências. Como uma rocha despencando em um lago, sempre haverá um efeito cascata de nossas atitudes e ações.

Em segundo lugar, a pornografia para o homem não é basicamente concentrada no aspecto físico de uma mulher. A aparência feminina é apenas um ímã externo para o olho desfrutar, mas o maior problema para o homem são os desejos de seu coração.

Pornografia é basicamente um teatro que se produz na mente, onde o homem pode entrar em seu mundo virtual e ser rei por um dia ou, neste caso, por alguns minutos enquanto satisfaz a sua mente sem o risco de intrigas de relacionamento que a “conquista cibernética” permite.

A pornografia é um mundo secreto que reside no coração. É a luxúria, que se alimenta da escuridão da mente de uma pessoa. Isso torna o que fazemos como pais, ainda mais importante, porque a mente de uma criança não é totalmente percebida por nós.

“Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte”. (Tiago 1:14-15)

As sementes da luxúria podem ser plantadas na mente de uma criança anos antes que ela tenha idade suficiente para perceber e agir sobre o que cresce dentro de seu coração.

O contínuo atrair-se e seduzir-se pelo pecado, o ato de desejar e conceber o pecado muitas vezes não acontece em uma sequência rápida. Pode levar anos para essa sequência pecaminosa trazer o pecado e a morte para a vida de uma pessoa.

Na maioria dos casos, o aliciamento e a sedução do vício em pornografia começa na mente quando ainda criança. Este tem sido um padrão consistente que já vi durante aconselhamentos. Uma criança pode estar em formação pornográfica muito antes dela ou mesmo dos pais se conscientizarem disso.

Casamento sem romance

Motivação pornográfica – A criança aprende que apenas alguns tipos de mulheres são dignas da pornografia.

O lar cristão deve ser uma casa onde haja sexualidade. Deus disse que o sexo é bom e Seu primeiro casal não se envergonhava de sua sexualidade única. Foi só quando o pecado entrou no mundo que as pessoas tornaram-se maliciosas sobre sexo e sexualidade.

Uma das maiores consequências (não intencionais) do casamento sem romance é como ele demonstra que certas pessoas não são dignas da pornografia. Antes de seu queixo cair completamente no chão, deixe-me explicar.

A principal característica da mente que foi treinada para a pornografia é que algumas pessoas são dignas de serem cobiçadas e outras não são. Todos nós sabemos quem é digno de nossa atenção cheia de luxúria.

As mulheres certamente sabem o que chama a atenção de um homem. É por isso que muitas delas são obcecadas por sua aparência, por quanto pesam, o que vestem, e pelo horror de envelhecer.

Embora essas mulheres não percebam isso como sendo “dignidade pornográfica”, muitas delas querem na verdade ser dignas da atenção do marido, querem ser desejadas. Ainda que não seja algo necessariamente errado, pode ser fatal, especialmente em um casamento em que a mulher não é desejada.

Um marido que não deseja sua esposa romanticamente pode enviar uma mensagem para os seus filhos de que ela não é digna de seus desejos. Ela não se encaixa em seus critérios. Ela não é atraente para ele.

Junte a isso o bombardeamento mental da criança pelos comerciais de TV e filmes sensuais e ela começa a estabelecer um tipo de beleza que seja “digna de se olhar” – o tipo de beleza física que a Bíblia não exalta.

“O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de joias de ouro, na compostura dos vestidos”; mas deixe ser o seu adorno “o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus”. (1Pedro 3:3-4)

Uma maneira eficaz para realçar a beleza valorizada pela Bíblia é o marido voltar seu coração à sua esposa. Muitos abraços e beijos entre marido e mulher podem deixar claro na mente da criança o que é a beleza real.

Ficar de mãos dadas, dançarem na sala de estar, abraçar um ao outro por longos períodos de tempo, e se beijarem na frente dos filhos são belos exemplos de quem e o que é digno do amor de um homem.

Um marido que não é romanticamente atento à sua esposa envia uma mensagem de que ela não é digna de sua atenção.

Gratificação instantânea

Motivação pornográfica – mulheres cibernéticas estão disponíveis para serem usadas e descartadas.

O filho mimado, que tem tudo que quer é um candidato perfeito ao condicionamento pornográfico. Uma característica integrante do pornográfico é a acessibilidade imediata e a facilidade de se livrar da garota cibernética.

Uma criança cujos desejos são prontamente atendidos, quando e como ela quer, está sendo moldada para uma vida de gratificação instantânea.

Quando as crianças estão sempre persuadindo facilmente seus pais a dar-lhes o que desejam, então não há praticamente nada que as impeça de entrar no mundo da pornografia se a oportunidade surgir. E a oportunidade vai surgir.

De acordo com o Covenant Eyes cinquenta por cento de todos os homens cristãos e vinte por cento de todas as mulheres cristãs são viciados em pornografia. O site ainda relata que as receitas globais pornográficas caíram em cinquenta por cento, devido à quantidade de pornografia on-line gratuita.

A pornografia hoje é exponencialmente de mais fácil acesso do que era há dez anos. Tudo o que uma pessoa precisa para desfrutar de pornografia é um coração que a anseia e um acesso à Internet.

Se a criança está acostumada a obter tudo que seus desejos egoístas veem pela frente, não será difícil para ela ser seduzida pela pornografia. Gratificação instantânea em uma criança gera gratificação instantânea em adultos. Estaremos escondendo a cabeça na areia se pensarmos que podemos atender a todos os desejos de nossos filhos e esperar que eles mudem suas maneiras quando se tornarem adultos.

Falta de comunicação no casamento

Motivação pornográfica – Decréscimo da comunicação no casamento é um requisito para a apreciação de pornografia.

Uma das queixas mais comuns que ouço em aconselhamentos matrimoniais é da falta de comunicação entre o casal. Já quase não falam um com o outro. Se falam, normalmente é sobre eventos familiares, transações de investimento, e negócios conjugais.

A falta de comunicação é um pré-requisito para se estagiar na pornografia, porque não exige esforço verbal. A pornografia é diversão para o coração distorcido que não requer nenhum diálogo.

Os filhos de pais que não se comunicam são condicionados para a desvalorização das palavras, que também é uma desvalorização do sexo oposto. Um homem que não fala com sua esposa está enviando uma forte mensagem de que ela não é digna de suas palavras.

Nada desvaloriza mais uma mulher do que a pornografia. A fêmea é vista apenas com a finalidade de ser utilizada de forma servil para satisfazer a mente podre de um homem. Conversar não faz parte deste cenário.

“Nenhuma palavra torpe saia de vossas bocas, mas apenas a que for útil para edificar outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem”. (Efésios 4:29)

Maridos, seus filhos precisam ver o valor que vocês dão a sua mulher, dirigindo a ela suas melhores palavras durante todo o dia. Estas devem ser palavras que edificam, amorosas, que estimulem e demonstrem devoção a sua esposa. Mostre o valor que você dá à mulher com quem se casou. Deixe-a ser exaltada na mente dos seus filhos.

Falar bem não apenas valoriza a pessoa, mas o uso das palavras boas exalta. Esta é uma das formas mais poderosas com que o Senhor nos edifica – através de Suas palavras.

“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra”. (2 Timóteo 3:16-17)

As crianças precisam ver o valor que o marido dá a sua esposa ao dirigir a ela suas melhores palavras.

Falta de consequências para as ações

Motivação pornográfica – ensina à criança uma falsa confiança de poder ter uma relação livre de riscos.

Uma criança que não tem que pagar por seus erros vai aprender que pode fazer qualquer coisa. Este é o tipo de comportamento que dá ao viciado em pornografia, uma falsa confiança de que não há riscos no ambiente virtual.

As crianças precisam de uma visão compreensiva de amor, o que significa que elas devem ser devidamente disciplinadas quando fazem algo de errado (Hebreus 12:6). A criança mimada que sofre pequena ou nenhuma consequência na vida vai ter uma baixa apreciação por regras e autoridade.

Pornografia não tem regras e é um hábito de baixo risco. Não é preciso muito para alcançá-la. Não é como roubar um banco. Uma criança que não tem limites é presa fácil para as seduções da pornografia.

Disciplina bíblica é uma questão de respeito e honra a Deus e a Sua Palavra. Há o certo e o errado no mundo de Deus. O viciado em pornografia não tem esse tipo de conceito moral. As linhas são indefinidas, uma realidade que começou bem antes de seu contato com a pornografia.

Muitos viciados em pornografia têm uma baixa visão das leis de Deus. Eles simplesmente não se importam, porque não foram ensinados a se importar. Uma das maneiras que você pode discernir isso em seu filho é pela forma como ele trata seus irmãos ou sua mãe.

Normalmente a criança vai ignorar sua mãe mais do que ao pai. Quando fazem isso, estão testando os limites da honra, respeito, bondade e amor bíblico.

Ambiente de crítica em casa

Motivação pornográfica – Crítica e raiva são as formas mais comuns com que desvalorizamos outros.

Como é o ambiente de sua casa? É um lugar de encorajamento, elogios, afirmação e amor ou de frustração, impaciência, críticas e egocentrismo?

O mundo da pornografia é um “refúgio” aonde as pessoas vão para escapar da tristeza de suas vidas. É um lugar onde o viciado pode obter satisfação pessoal para sua vida insatisfeita.

Não há nada na terra que afete mais a uma criança do que aquilo que acontece em sua casa. Até mesmo a igreja não tem o poder de afetar alguém como o lar, seja para o bem ou para o mal.

Se a casa não é um refúgio de encorajamento, seu filho será tentado a encontrar o seu próprio refúgio. O mundo pornô está sempre acenando para a alma triste.

A pornografia nunca vai criticar condenar, admoestar, desencorajar ou decepcionar. Ela eleva a alma ferida. Tudo o que o viciado precisa fazer é ajustar a sua consciência para que o errado se encaixe como certo em sua mente.

Uma vez que sua consciência está devidamente endurecida, ele está à vontade, de acordo com o seu autoengano. O melhor antídoto para este tipo de pensamento distorcido é criar uma cultura de encorajamento dentro de seu lar.

Se a casa não é um refúgio de encorajamento, seu filho vai ser tentado a encontrar outro refúgio.

A formação da mente pornográfica acontece quando um pai desiste de seu filho.

Crianças são reativas e vão responder bem ou mal ao que lhes é dado. Seus corações são como baldes vazios, desejando ser preenchidos. É uma alegria e privilégio dos pais cooperarem com o Senhor na criação de uma criança.

Educar bem não significa que seu filho está em casa livremente. Ser um mau pai não significa que seu filho está predeterminado a ser ruim. O comportamento dos pais não determina a moralidade da criança. A graça de Deus o faz.

No entanto, a nossa responsabilidade pessoal como tutores bíblicos de nossas crianças é o mais importante. Não devemos deixá-las somente à graça de Deus (Salmo 19:13). A questão para refletirmos a partir deste artigo é: “O que eu preciso mudar, a fim de cooperar com o Senhor na criação do meu filho?”.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*