Crime de foro sexual deve ser denunciado
(Jornal de Angola)

Educação sexual na adolescência domina encontro - Jornal de Angola

A directora do Gabinete Provincial de Luanda do Instituto Nacional da Criança (INAC), Ana Silva, apelou sexta-feira aos alunos da escola primária e do primeiro ciclo do ensino secundário 1082 do Catinton, distrito urbano da Maianga, a denunciarem casos de assédio e abusos sexuais que eventualmente sofram no meio familiar ou na comunidade.

(AVISO: Os pontos de vista aqui não representam necessariamente aqueles de Pornografia Destrói. Qualquer sexo fora do casamento representa perigo.)

Durante uma palestra sobre o tema Assédio e abuso sexual contra a criança, consequências e medidas de prevenção, Ana Silva considerou importante que os adolescentes adoptem tal atitude, no sentido de se evitarem “os comportamentos que não têm dignificado a sociedade”.

A palestrante exortou particularmente as raparigas a evitarem o uso de roupas curtas, “para inibirem as apetências sexuais dos colegas ou dos professores” e reiterou a necessidade das tentativas de assédio e abusos serem prontamente denunciadas.

A responsável da área de Planeamento Familiar da Repartição de Saúde do distrito urbano da Maianga, Maria Marta Ramos, aconselhou os alunos a aplicarem-se aos estudos, “ao invés das práticas sexuais que muitas vezes terminam em gravidez indesejada”.

Ana Silva recomendou o uso de preservativos, de modo a prevenir as doenças transmissíveis sexualmente e as gestações inesperadas.

A escola primária e do I ciclo do ensino secundário 1082 do Catinton é frequentada, no presente lectivo, por 1.482 alunos, distribuídos pelos turnos da manhã e tarde.

A palestra sobre o assédio e abuso sexual realizada na escola pública localizada no bairro Catinton faz parte de um ciclo de debates sobre o assunto nas escolas públicas e privadas da província de Luanda, onde o índice de casos está a crescer de forma exponencial.

Nos relatórios diários e semanais do comando provincial de Luanda da Polícia Nacional são sempre referenciados casos de abuso sexual, em alguns dos quais os suspeitos são pessoas próximas das vítimas.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*