Famoso serial killer admitiu que foi influenciado pelo consumo de pornografia (Sempre Família)

Famoso serial killer admitiu que foi influenciado pelo consumo de pornografia

Ted Bundy matou pelo menos 30 mulheres durante a década de 1970, em casos que geralmente envolviam estupro e necrofilia.

Equipe Sempre Família

Ted Bundy, alcunha pela qual era conhecido Theodore Robert Cowell, foi um dos maiores serial killers da história dos Estados Unidos. Ele matou pelo menos 30 mulheres durante a década de 1970, em casos que geralmente envolviam estupro e necrofilia. Comunicativo e persuasivo, não era difícil que conseguisse seduzir suas vítimas, a maioria delas universitárias atraentes. Mas o que o levava a esses atos brutais? Segundo ele mesmo, o consumo de pornografia violenta foi um fator preponderante.

Nos dias anteriores à sua execução, na cadeira elétrica, em 1989, Bundy recebeu centenas de pedidos de entrevistas. Ele rechaçou todas e decidiu dar sua última entrevista ao doutor James Dobson, fundador da organização Focus on the Family, uma organização cristã. Bundy afirmou que tinha algo importante a dizer a ele.

“Eu era essencialmente uma pessoa normal, eu tinha bons amigos, tinha uma vida normal – exceto por uma pequena, mas muito poderosa e destrutiva, parte dela, que eu mantive bem escondida e não deixava que ninguém soubesse”, disse o criminoso a Dobson. Ele disse que começou comprando produtos pornográficos em supermercados comuns, mas logo sentiu o desejo de consumir conteúdo mais violento.

“Como um vício, era preciso consumir algo cada vez mais pesado, para ter maior excitação”, disse Bundy. Segundo ele, o consumo de pornografia foi “um elo indispensável na cadeia comportamental” que o levou aos estupros e assassinatos de dezenas de vítimas.

“Vivi na prisão por um bom tempo e conheci vários homens que cometiam atos de violência como eu e todos, sem exceção, estavam profundamente envolvidos com pornografia. Sem condições, sem exceções, todos profundamente influenciados e consumidos pelo vício em pornografia”, relatou.

Em seus últimos dias ele teria dito ainda que a sociedade merece ser protegida de pessoas como ele. “Mas pessoas bem-intencionadas condenarão o comportamento de um Ted Bundy enquanto passam por um mostruário repleto das mesmas coisas que fazem com que garotos desçam a ladeira e se tornem Ted Bundys. Essa é a ironia”, disse.

Com informações de Catholic News Agency.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*