Fotógrafo diz que prefeitura de Boa Vista censurou exposição com fotos de nudez, prostituição e sexo (G1)

Fotógrafo diz que prefeitura de Boa Vista censurou exposição com fotos de nudez, prostituição e sexo


Prefeitura não respondeu diretamente se houve censura e deu outro motivo: o fato de não ter como controlar a entrada de pessoas no local onde ocorreria a exposição.

Por Marcelo Marques, G1 RR

O fotógrafo Adilson Brilhante, de 76 anos, procurou o G1 nesta terça-feira (13) afirmando ter sofrido censura pela prefeitura de Boa Vista em uma exposição que retrata nudez, prostituição, sexo, roubo e crimes nazistas.

A exposição intitulada ‘Simulacro’ seria aberta nesta terça no prédio da Intendência, que fica no Centro Multicultural da Orla Taumanan, região central da capital. As fotos já estavam todas montadas quando ele recebeu o aviso que não poderia mais exibir as peças.

Segundo Brilhante, embora tenha aviso com classificação etária de 16 anos, a Fundação de Educação, Turismo, Esporte e Cultura (Fetec), considerou a exposição imprópria para crianças por abordar temas polêmicos.

“É um ato ignóbil e cretino. A exposição estava agendada desde maio. Quando as exposições não têm apoio da Fetec, eles nem nos prestigiam. Não há vínculo cultural com artistas locais”, afirma o artista.

Em nota, a Fetec informou que o local onde seria a exposição tem “entrada livre a toda população, não sendo possível controlar a entrada de pessoas por faixa etária, como classificação indicada pela exposição”. (Confira abaixo a nota na íntegra)

O mesmo material, segundo Brilhante, foi exibido há quatro anos no Centro Multicultural da Orla Taumanan e que a prefeitura deu uma “desculpa infantil” acerca de não controlar a entrada de pessoas no local da exposição.

“São as mesmas fotografias de quatro anos atrás. O que fizeram foi uma censura à exposição. É um avanço da boçalidade que assola o país”, avalia. A prefeitura não respondeu diretamente se houve censura.

Brilhante acredita que o cancelamento da exposição sobre diversidade sexual em Porto Alegre pode ter influenciado na decisão da prefeitura da Fetec suspender a ‘Simulacro’.

“O que aconteceu em Porto Alegre acabou respingando e aqui e ainda vai ter outros efeitos. Qualquer coisa que saia do convencional será considerada pornográfica, atentatório ou imoral sociologicamente”, avalia.

‘Simulacro’

Brilhante descreve a exposição ‘Simulacro’ como um “Relato da loucura humana. Mergulho não tão fundo que afogue o entendimento e não tão raso que pareça frivolidade”.

As obras, segundo ele, retratam a caminhada humana abordando o comportamento de pessoas que afligem a sociedade.
“O painel versa sobre a prostituição, roubo, produção de alimentos, crimes nazistas, super população. Tá tudo exposto em fotos”, explica.

Após o cancelamento da exposição no prédio Intendência, Brilhante conseguiu espaço na Universidade Federal de Roraima (UFRR). As obras estão à mostra no Bloco I.

Íntegra da nota da Prefeitura

A Fundação de Educação Turismo Esporte e Cultura (Fetec) informa que não faz parte da organização do evento. Esclarece que o local que seria cedido para a exposição é um Centro de Atendimento ao Turista, com entrada livre a toda população, não sendo possível controlar a entrada de pessoas por faixa etária, como classificação indicada pela exposição.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*