Prioridade para os formados em Pedagogia
(Jornal de Angola)

Prioridade para os formados em Pedagogia

Amélia Paula apontou as ofensas corporais e morais, ameaça de morte, desalojamento, chantagens, privações de liberdade e de bens, adultério e assédio sexual como os outros males que devem ser combatidos de forma enérgica na Lunda-Norte.

Victorino Matias | Dundo | Fotografia: Nilo Mateus | Edições Novembro

Os concursos públicos para admissão de novos professores no ensino geral a nível da Lunda-Norte vão reservar vagas especificamente para os candidatos que tenham terminado os cursos na Escola Superior Pedagógica e no Magistério Primário, instituições vocacionadas para formação dos técnicos, anunciou, na sexta-feira, no Dundo, a directora do Gabinete Provincial da Educação.

Bernadeth Cachoco, que falava durante a cerimónia da sua tomada de posse, disse que a medida visa contribuir para o aumento da qualidade do ensino e dos professores que trabalham no referido subsistema a nível da província da Lunda-Norte.

A nova directora do Gabiente Provincial da Educação acrescentou que os candidatos à carreira docente, sobretudo para o ensino primário, vão ser submetidos a testes de ortografia e de leitura, visto que muitos professores que ensinam as crianças a ler e a escrever têm debilidades graves nesses capítulos.

A responsável apontou a formação, capacitação e motivação permanentes dos quadros docentes como premissas para a boa gestão das salas de aulas.

Bernadeth Cachoco explicou ser necessário reflectir sobre a prática pedagógica como meio de assegurar a qualidade do ensino e aprendizagem, e desenvolver competências para o processo de construção e transmissão de valores, bem como melhorar o trabalho metodológico e o sistema docente-educativo das escolas, principalmente no que diz respeito às disciplinas de Língua Portuguesa e de Matemática, em que os alunos ainda enfrentam muitos dificuldades na aprendizagem.

A directora provincial disse que o Executivo, consciente das suas responsabilidades, tem concebido, através do Ministério da Educação, políticas para a melhoria da qualidade do ensino no país, como o projecto de “Aprendizagem para Todos”, desenvolvido em parceria com o Banco Mundial.

O referido tem como objectivo elevar os níveis de conhecimentos e de competências dos professores, mas executa igualmente o Programa de Aceleração Escolar, de modo a elevar o nível de conhecimento dos alunos adultos e reduzir o índice de analfabetismo no seio da população.

Escola agrária

No sector da Agricultura, o director de Gabinete Provincial, Francisco Lubamba, também empossado há dias, pelo Presidente da República, João Lourenço, anunciou para breve a instalação de duas salas para formar técnicos médios agrários, de modo a colmatar a carência de quadros na Lunda-Norte.

O responsável do sector da Agricultura revelou que é intenção do Governo local que as referidas salas de aulas evoluam para um instituto agrário, logo que a situação financeira e económica do país estiver estável.

Francisco Lubamba disse prever novos tempos para o sector, principalmente no aumento da produção agropecuária e acrescentou que o sector da Agricultura começou a dar os seus primeiros passos na implementação do programa Crédito Agrícola de Campanha, desde o ano 2012, em seis municípios dos dez da Lunda-Norte. Francisco Lubamba disse que a reactivação do projecto Cacanda, com um maior efectivo animal ao nível de todos os municípios da província com políticas e um acompanhamento desta actividade, tem contribuído para a melhoria da dieta alimentar da população e do seu nível de rendimento.

“É um projecto que continuar de modo a se diversificar a economia na Lunda-Norte”, disse o director do Gabinete Provincial da Agricultura.

A agricultura é um dos principais sectores, dentro das prioridades do Governo Provincial da Lunda-Norte, para a diversificação da economia e do combate à fome e à pobreza.

Para isso, as autoridades têm estado a apostar na cedência de terras e bens agrícolas aos camponeses, no sentido de impulsionar a actividade no seio das famílias, principalmente as das zonas rurais.

Fuga à paternidade e abandono de menores desestabilizam lares

Também empossada pelo governador provincial Ernesto Muangala, a directora do Gabinete Provincial de Acção Social, Família e Igualdade do Género considerou a fuga à paternidade e o abandono de menores como factores de instabilidade das famílias e que têm estado a causar a desestruturação de muitos lares.

Amélia Paula apontou as ofensas corporais e morais, ameaça de morte, desalojamento, chantagens, privações de liberdade e de bens, adultério e assédio sexual como os outros males que devem ser combatidos de forma enérgica na Lunda-Norte.

Explicou que a fuga à paternidade afecta de forma negativa o menor durante a sua fase de crescimento, e tais repercussões podem propiciar futuramente o seu envolvimento na delinquência juvenil, ao uso do álcool ou de outras substâncias tóxicas, que afectam a saúde física ou mental.

Amélia Paula considera que a figura do pai e da mãe é bastante importante, pelo papel chave na formação e transmissão de valores aos filhos, dai a necessidade de uma convivência salutar dentro da família e da sociedade.

A directora explicou que quando o pai ou a mãe negam a sua responsabilidade de cuidar e criar o filho se está diante de um dos principais factores de instabilidade das famílias e, consequentemente, abre-se um caminho para a desestruturação do tecido social.

“Infelizmente, existem pais com comportamentos irresponsáveis perante os compromissos no lar, esquecendo-se de que os filhos necessitam de alimentação, educação, habitação, vestuário, além da diversão, que são factores de desenvolvimento sadio das crianças”.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*