Jornalista Mark Halperin confessa assédio sexual após denúncia de cinco mulheres (Público)

Jornalista Mark Halperin confessa assédio sexual após denúncia de cinco mulheres

Pelo menos cinco mulheres sofreram abusos sexuais do jornalista enquanto este trabalhava na ABC News.

É mais um caso de abusos sexuais a ser revelado depois das primeiras denúncias contra o produtor norte-americano Harvey Weinstein. A lista de nomes a ser apontados por crimes de abuso sexual na indústria do cinema, moda e televisão não pára de aumentar. Agora é Mark Halperin, jornalista norte-americano de 52 anos, que admite ter assediado sexualmente várias mulheres, aproveitando-se da sua posição de poder enquanto estava na ABC News. A reacção surge após uma denúncia feita por cinco mulheres que partilharam as suas histórias com a CNN.

“Durante esse período, forcei relações com mulheres com quem trabalhei, incluindo algumas juniores”, assumiu num comunicado entregue à CNN esta quarta-feira. “Compreendo agora que o meu comportamento foi inapropriado e causou dor. Por essa razão, lamento profundamente e peço perdão. Dadas as circunstâncias, irei afastar-me da função que agora realizo diariamente, enquanto procuro a forma certa de lidar com esta situação”, afirmou Halperin, actualmente analisa na NBC News.

Halperin é considerado um dos mais relevantes jornalistas de política, sendo autor do bem-sucedido livro Game Change, adaptado para o grande ecrã em 2012 e protagonizado por Julianne Moore como Sarah Pallin, com Ed Harris e Woody Harrelson.

As acusações vão desde apalpar os seios das jornalistas contra a sua vontade, a beijos e propostas sexuais. Três das cinco mulheres que falaram com a CNN contam que Halperin pressionava a sua zona genital, erecta, contra os corpos das mulheres. Halperin nega esta última acusação, bem como ter apalpado os seios.

Nenhuma destas mulheres trabalhava directamente para Halperin, no entanto, a posição do jornalista na ABC News conferia-lhe poder de decisão ao nível da atribuição de tarefas a toda a redacção. E apesar de já nenhuma trabalhar no mesmo canal que ele, sublinham que o jornalista tem uma vasta influência no mundo da política e da imprensa e é, por isso, que falam em anonimato, justificam. Outras dizem-se “envergonhadas” e não querem ser publicamente associadas aos assédios.

Uma das testemunhas diz ter sido convidada para o escritório no início dos anos 2000, para beber um refrigerante e quando chegou foi beijada e apalpada à força, enquanto Mark Halperin pressionava a sua zona genital contra ela. Uma segunda mulher descreve uma experiência semelhante, quando tinha 25 anos.

Em comunicado oficial, o canal televisivo afirma que “o Mark deixou a ABC News há mais de uma década e não foram preenchidas nenhumas queixas durante esse tempo”. Halperin chegou à ABC News no final dos anos 80.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*