Não nos deixes cair em tentação (Gospel Prime)

Não nos deixes cair em tentação

Mas livra-nos do mal…

Mesmo que tenhamos aceitado Cristo como Senhor de nossas vidas, é possível que em alguns momentos sintamos fraquezas na carne que cheguem até mesmo a tirar o sono. Essas fraquezas tentam nos impedir de servir a Deus com liberdade e alegria, e mesmo que busquemos ao Senhor com todas as nossas forças, elas estão sempre diante de nós, trazendo culpa e desânimo.

A famosa e constante “guerra da carne contra o espírito” que enfrentamos diariamente tem a finalidade de desviar o cristão dos propósitos de Deus (Gálatas 5:17). Ela normalmente surge bem no início de nossa conversão, pois o inimigo luta para matar nossos sonhos, tudo que planejamos, logo no começo de nossa carreira na fé cristã, quando tudo ainda está bem “jovem”. No momento, quando colocamos nossos alvos diante do Senhor, quando oramos a Deus por eles, clamamos a Deus por eles, choramos sobre eles e, diante de tudo, o inimigo começa a jogar setas em nossa mente para tentar minar a nossa fé e nos tirar do alvo planejado. Afinal, o ser humano é como uma terra fértil tudo o que é semeado pode dar frutos, porém, a semente só dará os seus frutos se regarmos a “terra”. Então, um segredo simples e espetacular para vencermos as tentações é não regar e/ou alimentar a tentação.

Todo ser humano é atraído por algo, porém, é possível resistir ao que nos atrai afastando-se do mesmo. Afastem-se de toda forma de mal. (1 Tessalonicenses 5:22). Devemos nos afastar de todas as espécies de males, de tudo que configure (pareça) ser mal.

Nunca pense que você é tão forte ao ponto de que nada mais o atingirá. O pecado é semelhante a um ímã, ele tem uma capacidade de repulsão muito grande e quanto mais próximo e/ou na direção dele estiver você será atraído.

Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido.

Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz o pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte. Tiago 1:14,15

No Éden o grande enganador vestiu-se de serpente, umas das boas criaturas de Deus. Insinuou sutilmente uma mentira e retratou a rebelião como um meio inteligente, mas no fundo inofensivo de preservar os interesses da humanidade. Naquela ocasião Eva teve dificuldade de entender que as palavras usadas pela serpente tinham aparência de pecado. Deus espera que sejamos determinados a vencer o mal obedecendo fielmente a suas leis.

O livramento do Senhor nas tentações está condicionado a uma vontade pessoal em buscar a Deus e viver em obediência. O socorro vem de Deus, mas a determinação de não pecar é nossa.

A tentação tem três aspectos fundamentais, e nós precisamos estar atentos a eles:

Agradável ao paladar.
O pecado pode ser bom e gostoso, mas afasta o homem de Deus. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça (Isaías 59:2).

Atraente aos olhos.
É muito comum os olhos brilharem quando nos deparamos com algo que desejamos, mesmo com os que não podemos usar ou tocar.

Por isso que precisamos colocar como prática o desvio dos olhos. Tirar do alcance da visão aquilo que nos atrai para o pecado, pois o nosso corpo corresponde com o que vemos.

Os olhos são a lâmpada do corpo. Portanto, se teus olhos forem bons, teu corpo será pleno de luz. Mateus 6: 22

Se um dos teus olhos te faz pecar, arranca-o, e lança-o fora de ti, pois melhor é entrares na vida com um olho só, do que, tendo os dois, seres lançado no fogo do inferno. Mateus 18: 9

Desejável para obter discernimento.
No Jardim do Éden Eva deu ouvido cegamente a serpente de que o fruto da árvore do bem e do mal era bom e agradável para se obter conhecimento e discernimento.

Como Eva, nós seres humanos queremos sempre saber de tudo, e em muitas situações para se obter conhecimento sobre algo é necessário que experimentemos, e isso pode nos levar a “queda”. No meu ponto de vista acho que é melhor entrar “burro” no céu do que “inteligente” demais no inferno.

Procure conhecer mais do SENHOR e da sua palavra, isso acrescentará muito mais.

Jesus encarnado sofreu as mesmas tentações que nós. Quando foi tentando pelo Diabo no deserto ele não estava na condição de Senhor, mas de homem natural (Mt 4:1:11). A posição de Jesus usando a forma natural de homem tinha por objetivo deixar para nós um legado, “assim com o eu venci vocês são capazes de vencer”, ou seja, é possível resistir (vencer) as tentações. Então, ao vermos Jesus ensinando que deveríamos orar a Pai para que tenhamos força para vencer as tentações, Ele não esta dizendo que orando as tentações não virão, mas que no momento em que elas vierem estaremos tão fortalecidos em Deus que não cederemos.

Pecar é uma escolha e vencer o pecado é uma questão de determinação!

O Diabo não tentou Jesus no seu melhor momento, ele esperou Jesus ficar no seu estado mais fraco fisicamente (pior momento (Mt4:2)). Uma das estratégias de Satanás é nos tentar na hora em que estamos mais fragilizados espiritualmente e/ou emocionalmente. Por isso, precisamos estar revestidos com a armadura de Deus em todo o tempo, principalmente com a arma de ataque (a palavra de Deus) em posição (Efésios 6:11:17).

Em Mt 6:10, quando Cristo está dizendo, “livra-nos do mal”, está provavelmente se referindo a Satanás. Em nossas orações diárias precisamos pedir a Deus que nos ajude a não cair nas armadilhas de Satanás, que com toda a sua astúcia tenta nos envolver de forma sutil e inofensiva para desviar-nos do propósito no qual estamos. Devemos estar sempre em vigilância contra Satanás, pois, como um ladrão, ele não dá nenhuma indicação de sua abordagem.

“Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca“. Mateus 26:41

Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Tiago 4:7

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*