Como o consumo de pornografia pode levar à violência (Fight the new drug/Medium)

Como o consumo de pornografia pode levar à violência

Não é segredo que muita pornografia seja violenta, mas muitas pessoas não entendem até que ponto as mensagens subjacentes da pornografia influenciam o comportamento. A pornografia é cheia de pessoas, particularmente mulheres, desrespeitadas, forçadas e abusadas fisicamente e verbalmente, e isso está moldando a forma como a sociedade pensa e age.

Traduizido por Yatahaze/Anti Pornografia

Alguns anos atrás, uma equipe de pesquisadores analisou 50 dos filmes pornográficos mais populares — os comprados e alugados na maioria das vezes. [1] Das 304 cenas que os filmes continham, 88% continham violência física e 49% continham agressão verbal. Em média, apenas uma cena em 10 não continha nenhuma agressão, e a cena típica média continha 12 ataques físicos ou verbais. Uma cena particularmente perturbadora conseguiu se ter até 128 ataques verbais e físicos!

A quantidade de violência mostrada na pornografia é assombrosa, mas igualmente perturbadora é a reação das vítimas. No estudo, 95% das vítimas (quase todas eram mulheres) eram neutras ao abuso ou pareciam responder com prazer . [2]

Em outras palavras, na pornografia, as pessoas estão sendo espancadas enquanto sorriem.

Claro, nem todos os filmes pornográficos apresentam violência física, mas até mesmo pornografia não-violenta mostrou ter efeitos sobre os consumidores. A grande maioria da pornografia — violenta ou não — retrata os homens como poderosos e no comando; Enquanto as mulheres são submissas e obedientes. [3] Assistir cena após cena de submissão desumana faz com que isso comece a parecer normal. [4] Estabelece o cenário para uma dinâmica de poder desequilibrada em relacionamentos e a aceitação gradual da agressão verbal e física contra as mulheres. [5] A pesquisa confirmou que aqueles que consomem pornografia (mesmo que não sejam violentos) são mais propensos a apoiar declarações que promovam abuso e agressão sexual para mulheres e meninas. [6]

Mas a pornografia não muda apenas as atitudes; também pode moldar as ações. Estudo após estudo mostrou que os consumidores de pornografia violenta e não-violenta são mais propensos a usar coerção verbal, drogas e álcool para coagir indivíduos ao sexo. [7] E vários estudos descobriram que a exposição a pornografia violenta e não-violenta aumenta o comportamento agressivo, incluindo fantasias violentas e até mesmo cometer abusos. [8]

Em 2016, uma equipe de pesquisadores compilou todas as pesquisas que poderiam encontrar sobre o assunto. [9] Depois de examinar vinte e dois estudos, eles concluíram que a pesquisa deixou “pouca dúvida de que, em média, os indivíduos que consomem pornografia com mais freqüência são mais propensos a manter atitudes favoráveis ​​à agressão sexual e praticar atos reais de agressão sexual “.

Se você está se perguntando como estar sentado em uma cadeira assistindo pornografia pode realmente mudar o que uma pessoa pensa e faz, a resposta é saber como a pornografia afeta o cérebro . Nossos cérebros têm o que os cientistas chamam de “neurônios espelho” — células encefálicas que disparam não só quando fazemos coisas a nós mesmos, mas também quando observamos outras pessoas fazendo coisas. [10] É por isso que os filmes podem nos fazer chorar ou nos deixar bravos ou assustados. Essencialmente, os neurônios espelhos nos permitem compartilhar a emoção das experiências de outras pessoas como observadores. Então, quando uma pessoa está olhando pornografia, ele ou ela naturalmente começa a responder às emoções dos atores vistos na tela. À medida que o consumidor se torna excitado, seu cérebro trabalha conectando esses sentimentos de excitação ao que se vê acontecendo na tela, quase como se ele ou ela estivesse realmente tendo a experiência. [11] Então, se uma pessoa se sente excitada assistindo um homem ou uma mulher recebendo um tapa e sendo xingada, o cérebro desse indivíduo aprende a associar esse tipo de violência com a excitação sexual. [12]

Para piorar as coisas, quando a pornografia mostra vítimas de violência que parecem aceitar ou curtir serem feridas, o espectador é alimentado com a mensagem de que as pessoas gostam de ser tratadas dessa forma, dando aos consumidores pornográficos a sensação de que está certo agir agressivamente. [13]

Os consumidores podem dizer que eles não são afetados pessoalmente por pornografia, que não serão enganados em acreditar nas suas mensagens subjacentes, mas estudos sugerem o contrário. Há evidências claras de que a pornografia torna muitos consumidores mais propensos a apoiar a violência contra as mulheres, a acreditar que as mulheres gostam secretamente de serem estupradas [14] e, de fato, são sexualmente agressivas na vida real. [15] A agressão pode assumir muitas formas, incluindo assediar verbalmente ou pressionar alguém para o sexo, manipulá-los emocionalmente, ameaçando acabar com o relacionamento, a menos que eles concedam favores, enganando-os ou mentindo sobre o sexo, ou mesmo agredindo-os fisicamente. [16]

E lembre-se de que o uso de pornografia freqüentemente aumenta ao longo do tempo, então, mesmo que os consumidores não comecem a assistir pornografia violenta, isso pode mudar. Quanto mais tempo eles consumirem, mais provável eles se encontrarão. Buscando conteúdo cada vez mais chocante e incondicional. [17]

Não surpreendentemente, quanto mais violentos forem os pornôs que eles consomem, mais prováveis que irão apoiar a violência e atuar violentamente. [18] Na verdade, um estudo descobriu que aqueles com maior exposição a pornografia violenta eram seis vezes mais propensos a estuprar alguém do que aqueles que apresentavam uma baixa exposição no passado. [19]

Claro, nem todo consumidor pornô se transformará em um estuprador. Mas isso não altera o fato de que a pornografia está nos atingindo com uma maré de violência desumanizadora. Não faz sentido que a nossa sociedade aceite as mensagens da pornografia, ao mesmo tempo que pede igualdade de gênero total e um fim de agressão sexual. Uma grande parcela da pornografia consumida por milhões de pessoas todos os dias está reforçando a mensagem de que a humilhação e a violência são partes normais do que o sexo deveria ser. [20] Está enviando uma mensagem as mentes e as expectativas da próxima geração, tornando mais difícil para muitos jovens se preparar para relacionamentos amorosos e saudáveis [21] e deixando as mulheres e os homens sentindo como se não pudessem expressar a dor que está causando. [22]

Dizer não à pornografia está ajudando a construir um mundo menos violento; um que é mais amoroso, conectado, humano, sexy e seguro.

Referências dos estudos você pode acessar aqui.

Texto traduzido por Yatahaze, para a página Anti Pornografia.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*