Sexualização dos Media e pornografia ajudam a criar os abusadores do futuro (Boston Globe/PressX)

Sexualização dos Media e pornografia ajudam a criar os abusadores do futuro

O post seguinte faz parte do editorial do Boston Globe, e foi escrito por Cheng Imm Tan

No editorial de 1 de Novembro “As consequências podem trazer mudança?”, o Globe escreve: “Homens que usam o seu poder para alcançar mulheres estão em todas as indústrias e ideologias. Eles vão continuar a fazê-lo, enquanto as mulheres deixarem.” Desculpem? O assédio sexual persiste mesmo depois de muitas mulheres fazerem o seu melhor para evitar que isso aconteça.

Eu sei que esse editorial anterior estava a tentar validar as mulheres que vieram a público sobre o seu assédio. No entanto, isso falha o ponto de que o assédio sexual e comportamento predador está em todo o lado, e não apenas no local de trabalho. É apoiado pela cultura, instituições, e estruturas em que a objectificação sexual de raparigas e mulheres é lucrativa. O público foi condicionado a aceitar isto como normal. A explosão de imagens de raparigas em videoclipes, revistas, e anúncios publicitários bombardeiam os rapazes e as raparigas. Estas imagens antes eram apenas vistas nas revistas pornográficas, e estavam escondidas debaixo dos balcões. Agora são o pão de cada dia.

Além disso, a pornografia online, uma indústria bilionária a um clique de distância, aparece de forma inesperada a crianças que estão apenas a jogarem jogos no computador. Estudos mostram que as crianças estão expostas à pornografia na internet cada vez mais cedo. Na verdade, um dos maiores grupos de consumo da pornografia da internet, é entre os 12 e 17 anos. As nossas crianças estão a ter a sua educação sexual através de imagens que normalizam e exploram a mau tratamento de raparigas e mulheres.

As nossas crianças estão a ter a sua educação sexual através de imagens que normalizam e exploram a mau tratamento de raparigas e mulheres.

Como mãe de uma rapariga de 6 anos, e um rapaz de 11, eu receio pelos meus filhos. Tenho medo de como essas imagens estão a afectar a sua auto-estima, e o seu futuro em relações de respeito e carinho mútuos. Eu faço o meu melhor para educar e dar outra visão, mas a minha voz, como muitas das mulheres que lutam com o assédio, está a ser reprimida pela normalização da exploração e objectificação sexual das mulheres. A menos que a cultura que apoia esta normalização seja confrontada e mude, as mulheres vão continuar a ser assediadas e exploradas, e a recente polémica com alguns grandes nomes de Hollywood e dos media será apenas mais uma fase.

Rev. Cheng Imm Tan

Boston

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*