Grupo Artes Sol aborda maus-tratos contra crianças
(Jornal de Angola)

Grupo Artes Sol aborda maus-tratos contra crianças

A violência física, psicológica e sexual contra menores é abordada hoje e amanhã, às 15h00, na peça “A menina que não sabia dançar”, encenada pela Companhia de Artes Sol (CAS), na Liga Africana, em Luanda.

Manuel Albano

A peça, que volta a ser exibida nos dias 11, 16 e 17 deste mês, retrata a inclusão social das crianças, procurando chamar a atenção dos dirigentes sobre a importância do cumprimento dos 11 compromissos de protecção à criança, apresentados pelo Conselho Nacional da Criança (CNAC) no III fórum nacional sobre a criança realizado em 2007 em Luanda.

A peça retrata a história da personagem Candinha, uma menina de 12 anos que não tem contacto com outras crianças da sua idade, porque passa a maior parte do tempo a fazer trabalhos domésticos.

Candinha não tem uma infância feliz, porque lhe é cortada a possibilidade de brincar e dançar como as crianças da sua idade, por não ter tempo, devido aos castigos aplicados pela madrasta.

A peça mostra as consequências da violência física, psicológica e sexual. “A menina que não sabia dançar”, com 19 personagens, mostra como as formas de agressão podem ser capazes de produzir sintomas diferentes nas crianças.

“A menina que não sabia dançar” tem uma duração de aproximadamente 50 minutos, numa peça cheia de muita alegria, música e dança. A peça conta com a iluminação de Chance El Chadai, caracterização de Ny Gonçalves e sonoplastia de Diógenes da Fonseca.

“A nossa ideia é incentivar o interesse das crianças pelo o gosto pelas artes, em particular o teatro, de modo a se tornarem mais criativas e ajudá-las a preservarem os valores morais, cívicos e culturais adquiridos na família”, afirmou a directora artística Solange Feijó.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*