Jovens com deficiência aliciadas para prostituição. Valor? 200 euros (Diário de Notícias)

Jovens com deficiência aliciadas para prostituição. Valor? 200 euros

O pagamento não pode exceder essa quantia para que possam continuar a receber subsídios do Estado

O site holandês werkenmetwajong.nl está a oferecer a jovens com deficiências físicas e mentais a possibilidade de realizarem trabalhos sexuais em troca de 200 euros por mês. E essa é a quantia máxima: para continuarem a receber a assistência social oferecida pelo Governo não poderão ter um emprego que pague uma quantia maior.

Apesar da proposta, o site é verdadeiro e os seus proprietários têm a empresa legalizada e com os impostos pagos. A questão é por isso ética, ou moral, em vez de legal.

Os deputados de esquerda holandeses já criticaram a oferta que tem como alvo “os jovens mais vulneráveis” e pedem agora ao Parlamento que procure formas de encerrar, com a máxima urgência, o site em causa.

O deputado socialista Jasper van Dijk disse mesmo que “permitir algo assim é altamente censurável, é uma loucura”.

Todos os deputados expressaram a sua preocupação e exigiram medidas imediatas.

As únicas pessoas que se podem inscrever neste site são os jovens que têm uma deficiência de trabalho reconhecida (“Wajongers“, em holandês), ou seja, beneficiários da ajuda social.

A secretária de Estado do Trabalho e Ação Social holandesa, Tamara van Ark, sublinhou que um grupo vulnerável, como as pessoas com deficienência, não deveria “ser exposto a atividades socialmente controversas”, como a prostituição na Internet.

O site é uma iniciativa privada de um empreendedor holandês, que ainda não comentou a polémica.

A prostituição é legal nos Países Baixos desde que seja exercida de forma voluntária por pessoas com mais de 18 anos de idade.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*