Emília demonstra preocupação com o assédio sexual no Carnaval (Câmara Municipal de Aracaju/SE)

Emília demonstra preocupação com o assédio sexual no Carnaval

No Brasil, o assédio no Carnaval engrossa as estatísticas da violência contra mulheres.

por Andrea Lima, Assessoria de Imprensa da parlamentar | Foto: César de Oliveira

Segundo Emília, o Carnaval é uma das maiores e mais famosas festas brasileiras, mas nem tudo é fantasia e “alegria”, haja vista que a folia momesca nas ruas tem sido um espaço bastante hostil para as mulheres. “A frase: “no Carnaval pode tudo”; deve ser combatida. A festa muitas vezes mascara práticas de violência sexual contra as mulheres, que sofrem durante o feriado. Diversos são os relatos de puxões, beijos forçados, mão boba, “um tapinha não dói”, alertou.

De acordo com a vereadora, para inibir abordagens desrespeitosas que ultrapassam o limite da paquera natural do período, é necessário lançar campanhas contra essa prática durante o feriado festivo, pois a única forma de minimizar essas ações. “Os dias de diversão e folia devem ser vividos por todas as pessoas, inclusive pelas mulheres. É o momento de implementar campanhas contra o assédio sexual, principalmente nas redes sociais, compartilhando experiências e denunciando os atos e os agressores”, explicou.

Por fim, Emília ressalta que as campanhas contribuem para a educação e a conscientização dos limites prudenciais de investidas durante a folia, garantindo a tranquilidade e a segurança durante o carnaval. “O assédio sexual é crime e a vítima pode fazer um Boletim de Ocorrência contra o agressor. Faça a denúncia. Explique a situação ao profissional que irá atender e, se você se sentir mais confortável, pode pedir para que seja atendida por uma policial do sexo feminino. É seu direito”, disse.

>Ver artigo original.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Comentarios:

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code
     
 

*