Giuliano Ferreira (VÍDEO)

090614_giuliano_ferreira

Ator-pornô deixa a profissão e vira pastor após ouvir chamado de Deus

Giuliano Ferreira teve uma infecção e chegou a ficar em coma

DIÁRIO DA MANHÃ, TALITHA NERY

Depois de passar por um sério problema de saúde, Giuliano Ferreira, de 35 anos, resolveu deixar a carreira de ator pornô e virou pastor evangélico. Segundo ele, durante o tempo que esteve em coma ouviu um chamado de Deus pedindo para que abandonasse a vida que levava e usasse sua história para salvar almas. Para contar sua história, Giuliano escreveu o livro “Luz, Câmera, Ação e Transformação” que já vai para a segunda edição.

A virada na história de Giuliano começou no ano de 2004, em Araraquara-SP, logo após a gravação de um filme com Rita Cadillac e Márcia Imperator. Na ocasião, ele sofreu uma infecção em um dente que acabou se espalhando por todo corpo. O ex-ator entrou em coma e durante este período teria ouvido um chamado de Deus, neste momento, para a surpresa dos médicos, ele acordou.

Quando saiu do hospital, Giuliano vendeu todos os imóveis que tinha para pagar multas de contratos que reincidiu com o mercado de pornografia no Brasil e na Europa. Com o que sobrou, o ex-ator comprou um apartamento em São Carlos, onde vive com a esposa e os dois filhos.

A história de vida do pastor permaneceu em total segredo até o mês passado. Por medo dos filhos sofrerem com piadas na escola ele preferiu não contar a experiência. A esposa sempre soube o que ele fazia, depois que eles se casaram ele permaneceu na profissão de ator-pornô por dois anos. O assunto foi revelado por Giuliano só agora, pois os filhos estão na faculdade e já tem 18 e 19 anos.

Carreira

Giuliano vivia em São Paulo e entrou para o ramo de entretenimento de adultos aos 18 anos de idade. Assim que ficou desempregado, um empresário ofereceu a ele a chance de stripper em uma boate. Na época ele relutou em aceitar a profissão, mas quando percebeu que a lucratividade em um fim de semana é maior que o salário de um mês ele resolveu aceitar.

Segundo ele, em menos de um ano era um dos stripper mais assediados de São Paulo. A profissão de ator pornô chegou de forma natural e adquiriu pseudônimos para as produções, em filmes heterossexuais ele utilizava o nome de Juliano Ferraz e em gays Júlio Vidal. Durante seu auge, entre 2002 e 2004, ele recebeu um prêmio latino-americano na categoria e foi indicado ao AVN, equivalente ao Oscar.

>Ver artigo original (AVISO: nudez parcial)

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail