B – 44 anos – homem

O meu escape foram sempre as drogas e a bebida. Comecei a consumir drogas muito cedo, era a única forma de conseguir fugir da realidade. Eu não queria saber que tinha sido violado mais do que uma vez e queria arrancar isso da minha cabeça. Quando fumava eu sentia-me bem, sentia-me ausente e longe de tudo, nada me afectava, eu estava imune de tudo e então comecei a fumar mais vezes e a aumentar a dose.

Foi preciso chegar a um ponto de desespero para perceber que as drogas não me serviam mais e que não havia forma de fugir mais. Cheguei a ponto em que não tinha controlo da minha vida, eu não tinha acabado os estudos, estava desempregado e não tinha nenhuma relação que fosse boa. Bati no fundo da minha vida e pensei que não havia volta a dar sem ser acabar com tudo.

Felizmente antes de cometer alguma asneira, pedi ajuda e a minha vida começou a mudar. Enfrentei os meus medos de frente, tive de me obrigar a enfrentar a realidade e a verdade do que me aconteceu. Não tinha culpa de ter sido violado, eu não era o culpado por isso. Houve uma altura da minha vida que era tudo negro e eu não via solução para os meus problemas. Mas hoje isso faz tudo parte de um passado e parece que foi tudo numa vida diferente em que eu via as drogas como solução. Hoje já não consumo mais e sei que os grupos de apoio foram essenciais para a minha recuperação.

>Ver original – Quebrar o Silêncio‏

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail