MPF vai recorrer da decisão de juiz de Minas Gerais que não viu crime no fato de servidor armazenar conteúdo sexual de crianças “para seu deleite”
(Último Segundo – iG)

MPF vai recorrer da decisão de juiz de Minas Gerais que não viu crime no fato de servidor armazenar conteúdo sexual de crianças "para seu deleite"

A Procuradoria da República em Minas Gerais anunciou que vai recorrer de decisão de um juiz de Pouso Alegre, município no sul do estado, que absolveu um ex-servidor público que armazenava conteúdo de pornografia infantil no computador do trabalho. Ler mais »